Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito dos peptídeos de estaterina e Histatina no biofilme cariogênico e na desmineralização do esmalte

Processo: 17/02692-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Jaime Aparecido Cury
Beneficiário:Lina María Marín Gallón
Supervisor no Exterior: Walter Luiz Siqueira
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : Western University , Canadá  
Vinculado à bolsa:14/27034-5 - Suscetibilidade à cárie de dentes com fluorose e efeito do fluoreto no seu controle: estudo in vitro e in situ, BP.DR
Assunto(s):Cariologia   Histatinas   Proteínas e peptídeos salivares   Streptococcus mutans

Resumo

As proteínas salivares histatina e estaterina, e os seus peptídeos funcionais derivados RR14 e DR9, respetivamente, mantêm a homeostasia da composição mineral do dente através da regulação dos processos de des- e remineralização e pela inibição da precipitação espontânea de minerais na superfície dental. Em acréscimo, essas proteínas/peptídeos inibem a aderência do S. mutans a película dental (PD). Esse conhecimento traz a possibilidade de usar peptídeos sintéticos duplicados (DR9/DR9) ou híbridos (DR9/RR14) para potencializar o controle da cárie. Assim, o objetivo deste estudo in vitro será o de determinar como os peptídeos DR9/DR9 e DR9/RR14 podem modular o proteoma do S. mutans, controlando a sua aderência a PD, no posterior desenvolvimento do biofilme dental cariogênico e na desmineralização do esmalte. Para isso, dois estudos in vitro serão realizados. No primeiro estudo, os blocos de esmalte serão tratados com os peptídeos para induzir a formação da PD e em seguida serão inoculados com S. mutans. O proteoma bacteriano total, da parede celular e intracelular do S. mutans aderido e do planctônico não aderido serão analisados após 2, 4 e 8 horas de aderência. Além disso, serão quantificadas as bactérias aderidas aos blocos de esmalte após cada tempo de aderência. No segundo estudo será avaliado o efeito dos peptídeos no desenvolvimento de biofilmes cariogênicos. Para isto, os blocos de esmalte serão pré-tratados com os peptídeos para induzir a formação da PD e posteriormente os blocos serão tratados 2x/dia com os peptídeos. Será determinado o efeito dos peptídeos no proteoma bacteriano total, da matriz extracelular e intracelular, assim como na desmineralização do esmalte. As análises de proteômica, de ambos os estudos, serão realizadas com Cromatografia Liquida - Ionização por Electrospray - Espectrometria de Massas em Tandem (LC-ESI-MS/MS). Adicionalmente, no segundo estudo, os biofilmes serão analisados para determinar a concentração de polissacarídeos extracelulares solúveis e insolúveis, a biomassa e a viabilidade celular. Esperasse que os peptídeos interferissem no início da formação do biofilme e no seu desenvolvimento, assim como na desmineralização do esmalte. (AU)