Busca avançada
Ano de início
Entree

Aprimoramento tecnológico da aplicação do antibiótico natural para o processo de fermentação alcoólica industrial

Processo: 17/07128-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Celso Tomazin Junior
Beneficiário:Celso Tomazin Junior
Empresa:Celso Tomazin Junior Consultoria - ME
Vinculado ao auxílio:16/50404-9 - Aprimoramento tecnológico da aplicação do antibiótico natural para o processo de fermentação alcoólica industrial, AP.PIPE
Assunto(s):Compostos bioativos   Óleos essenciais   Óleos vegetais   Antibióticos   Fermentação alcoólica   Fermentação industrial

Resumo

Atualmente, existem muitas tecnologias com o objetivo de reduzir custos de consumo de energia e de produção no processo de fermentação alcoólica. No entanto um dos maiores agravantes desse processo se deve a incidência de microrganismos contaminantes, em sua maioria, bactérias láticas, as quais competem diretamente com o substrato presente no mosto, que seria convertido a etanol e acaba sendo desviado para a síntese de outros compostos. Isso ocorre por se tratar de um processo biotecnológico não estéril, permitindo que microrganismos contaminantes incidam no processo impactando negativamente na produtividade industrial de etanol. Como forma de minimizar as perdas e aumentar a produtividade, faz-se necessário o uso de antibióticos para controlar a população desses microrganismos contaminantes. Os antibióticos mais comumente empregados neste processo são os que contém, como princípios ativos, a penicillina, tetraciclina, virginamicina e monensina, conhecidos como antibióticos convencionais. Todavia, esses produtos deixam resíduos no creme de levedura, impossibilitando o seu aproveitamento como matéria-prima destinada à nutrição animal, já que são ricas em proteínas e outros compostos nutracêuticos. Isso ocorre devido à exigência do mercado europeu e outros que baniram o uso de antibióticos, destinados à nutrição animal, como promotores de desenvolvimento. Como alternativa, tem sido utilizado produtos naturais com propriedades bactericidas no processo de fermentação. Os óleos e extratos naturais possuem atividade antimicrobiana, podendo substituir os produtos sintéticos com a vantagem de não gerar resíduos no levedo após seu uso. O atual projeto (fase II) tem por objetivo aprimorar tecnologicamente o bioproduto, assim denominado, à base de óleos naturais desenvolvido na fase I do atual projeto de pesquisa, com relação às suas propriedades bactericidas nas dornas de fermentação alcoólica industrial de diferentes ambientes de processos encontrados nas usinas sucroalcooleiras, e obter melhora do seu desempenho comparativamente aos produtos concorrentes. (AU)