Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do perfil de expressão e função do inflamassoma AIM2 na mucosa intestinal no diabetes tipo 1 experimental

Processo: 16/25116-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Daniela Carlos Sartori
Beneficiário:Jefferson Antonio Leite
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/10395-0 - Papel dos receptores NLRs nos mecanismos de imunoregulação do diabetes do tipo 1 e 2: identificação de novos alvos terapêuticos, AP.JP
Assunto(s):Inflamação   Imunidade inata

Resumo

Índices alarmantes de Diabetes Melitos (DM) comprovam que está doença tem se tornado um grande problema na área da saúde pública em nível mundial. O diabetes do tipo 1 (DM1) é uma doença autoimune determinada por fatores genéticos e pela interferência de fatores ambientais. Está doença caracteriza-se pela disfunção do pâncreas endócrino decorrente da destruição seletiva das células ² presentes nas ilhotas pancreáticas e produtoras de insulina por linfócitos T autorreativos, levando o indivíduo a um estado de hiperglicemia. Estudos desenvolvidos pelo nosso grupo de pesquisa constataram que alteração da microbiota intestinal, associada com translocação de bactérias para os linfonodos pancreáticos, acarreta a ativação do receptor NOD2 em células mielóides e expressão de citocinas que leva ao processo de insulite e a subsequente DM1. Neste contexto, algumas citocinas pró-inflamatórias, tais como IL-1², IL-18 e IL-33, se tornam biologicamente ativas após clivagem proteolítica pela caspase-1 decorrente da formação do inflamassoma, que consiste de uma plataforma molecular, que engloba membros da família dos receptores citosólicos Nod-like receptors (NLRs) e Aim-like receptors (ALRs) que incluem respectivamente o NLRP1, NLRP3, NLRP6, NLRC4 e AIM2. Um estudo recente mostrou que o receptor AIM2 contribui para a manutenção da barreira intestinal e protege contra o desenvolvimento de colite. Sendo assim, nossa hipótese é que a ativação do receptor AIM2 é importante na imunidade de mucosa intestinal e controle da translocação bacteriana, causando assim resistência ao DM1 experimental.Portanto, iremos estudar as vias de ativação e o papel funcional do inflamassoma AIM2 no desenvolvimento do DM1 induzido por estreptozotocina (STZ). Além disso, pretendemos investigar o envolvimento desse receptor na modulação da resposta imune celular durante a progressão do DM1. A execução desse projeto será de grande relevância, uma vez que a identificação de alvos moleculares associados à imunoregulação do DM1 poderá contribuir para a implementação de novas imunoterapias que poderão ser usadas futuramente no tratamento de pacientes diabéticos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LEITE, JEFFERSON ANTONIO; PESSENDA, GABRIELA; GUERRA-GOMES, ISABEL C.; MENDONCA DE SANTANA, ALYNNE KAREN; PEREIRA, CAMILA ANDRE; CAMPOS COSTA, FREDERICO RIBEIRO; RAMOS, SIMONE G.; ZAMBONI, DARIO SIMOES; CAETANO FARIA, ANA MARIA; DE ALMEIDA, DANILO CANDIDO; SARAIVA CAMARA, NIELS OLSEN; TOSTES, RITA C.; SILVA, JOAO SANTANA; CARLOS, DANIELA. The DNA Sensor AIM2 Protects against Streptozotocin-Induced Type 1 Diabetes by Regulating Intestinal Homeostasis via the IL-18 Pathway. CELLS, v. 9, n. 4 APR 2020. Citações Web of Science: 0.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LEITE, Jefferson Antonio. A ativação do receptor AIM2 na mucosa intestinal confere proteção ao diabetes tipo 1 experimental. 2018. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.