Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do desempenho de biofiltros em areia conforme o método de operação incluindo sua relação na formação do Schmutzdecke e na remoção de bisfenol A

Processo: 17/02512-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Saneamento Básico
Pesquisador responsável:Lyda Patricia Sabogal Paz
Beneficiário:Lyda Patricia Sabogal Paz
Anfitrião: Luiza C. Campos
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : University College London (UCL), Inglaterra  
Assunto(s):Saneamento

Resumo

O biofiltro em areia (BFA) tem sido utilizado, como tratamento doméstico de água de consumo, em comunidades isoladas ao redor do mundo em função de seu baixo custo, eficiência e simplicidade nas atividades de operação e manutenção. O desempenho do BFA na remoção de parâmetros físico-químicos e microbiológicos vem sendo estudado; contudo, ainda faltam pesquisas que, entre outros aspectos, caracterizem o escoamento na unidade (em função do método de operação) e vinculem sua relação com a formação da camada biológica (schmutzdecke). Igualmente, que avaliem a eficiência do BFA na remoção de contaminantes emergentes como o Bisfenol A e, também, a possibilidade de acelerar o amadurecimento pela introdução de nutrientes. Neste contexto, o presente projeto de pesquisa, a ser realizado entre abril de 2018 e março de 2019, tem como objetivos: i) caracterizar o escoamento do biofiltro quando operando em fluxo contínuo e em fluxo intermitente; ii) avaliar o período de amadurecimento e a formação da camada biológica (schmutzdecke) conforme o método de operação; iii) ponderar a possibilidade de acelerar o amadurecimento pela introdução de nutrientes; e iv) avaliar o desempenho da unidade, conforme o método de operação, na remoção de Bisfenol A. Para desenvolver o estudo dois BFAs existentes no Laboratório do Department of Civil, Environmental & Geomatic Engineering da University College London - UCL serão utilizados. A supervisora da pesquisa será a Profa. Luiza Cintra Campos, especialista mundial em filtração lenta, a qual criou uma metodologia inédita que permite quantificar a biomassa desses filtros. A adaptação e a transferência dessa metodologia descrita, em parte, em Campos et al (2002), no contexto dos BFAs, serão essenciais para ponderar a eficiência das unidades no âmbito latino-americano; assim, a realização da pesquisa na UCL se torna imprescindível. Destaca-se que a UCL ocupou, em 2016, o sétimo lugar entre as melhores universidades do mundo, segundo QS World University Rankings. A bolsa de pesquisa no exterior (BPE) solicitada por 12 meses permitirá que a candidata adquira e desenvolva novos conhecimentos, estreite relações internacionais de pesquisa e consolide os resultados do auxílio-pesquisa FAPESP intitulado "biofiltros em areia operados em fluxo contínuo e em fluxo intermitente: desafios na construção, operação e manutenção - Processo: 2014/12712-8", sob sua coordenação. Caso o auxílio seja aprovado, a candidata utilizará os resultados de seu estágio no exterior (região de clima temperado) junto com os obtidos no Brasil (região de clima tropical) para elaborar sua tese inédita requerida, como parte dos requisitos, para obter o título de livre-docente perante a Universidade de São Paulo. Além disso, publicará diversos artigos científicos em revistas internacionais indexadas. Deste modo, a BPE permitirá desenvolver e ampliar conhecimentos relacionados aos BFAs visando apoiar sua transferência em comunidades isoladas do país e do mundo. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.