Busca avançada
Ano de início
Entree

Formulação líquida a base de ácidos húmicos e fúlvicos e fungos nematófagos

Processo: 17/08628-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Bruno Flávio Figueiredo Barbosa
Beneficiário:Bruno Flávio Figueiredo Barbosa
Empresa:Oikos Bioscience - Inovação e Tecnologia para a Vida Ltda. - ME
Vinculado ao auxílio:16/08457-8 - Formulação líquida a base de ácidos húmicos e fúlvicos e fungos nematófagos, AP.PIPE
Assunto(s):Nematologia   Micro-organismos nematófagos   Arthrobotrys   Ácido húmico   Controle biológico   Óleos vegetais

Resumo

Os nematoides estão listados pelo Ministério da Agricultura como uma das oito pragas que mais causam prejuízo econômico à Agricultura brasileira. Entre as espécies citadas estão Pratylenchus brachyurus, Meloidogyne javanica, M. incognita e Heterodera glycines. Todas são muito danosas em soja e feijão, e as três primeiras são para a maioria das culturas como cana-de-açúcar, milho, banana, hortaliças em geral, café, pastagens, entre outras. A porcentagem de danos varia entre as espécies de nematoides e culturas afetadas, com valores como 20, 30, 50, 60 e até 100%. Fungos nematófagos podem ser parasitas de ovos ou predadores. Purpureocillium lilacinum (sin.: Paecilomyces lilacinus) é o parasita de ovos mais utilizado no controle de nematoides no mundo. Espécies de Arthrobotrys estão entre asmais promissoras entre os predadores. Além da eficácia comprovada, esses fungos se multiplicam bem em meio de cultura, agilizando processos industriais. Ácidos húmicos e fúlvicos podem liberar fósforo adsorvido para a solução do solo, aumentar a capacidade de troca catiônica, retenção de água, agregação e porosidade do solo, além de estimular a microbiota do solo. O objetivo do projeto será a obtenção da formulação comercial de fungos nematófagos. Todos os experimentos deverão estar regularizados, com RET (Registro Especial Temporário) e boas práticas experimentais (GEP). No primeiro será determinada a quantidade de matriz necessária à formulação, onde serão utilizadas cinco proporções da matriz dos fungos nematófagos Arthrobotrys musiformis, A. oligospora e Purpureociliumlilacinum, previamente colonizados em grãos de arroz e a testemunha sem fungos: 0 (testemunha), 50, 250, 500, 750 e 1000 g/L de AHF (ácidos húmicos e fúlvicos). Será testado também o uso de aditivo estabilizante e protetivo aos fungos na formulação. Os aditivos serão: óleo vegetal, óleo vegetal emulsionável comercial, óleo vegetal com agente emulsificante alginato e óleo vegetal com tween. Quinze dias após a adição, será avaliado o número de UFC/mL de AHF. A alternativa que proporcione maior número de UFC será utilizada no experimento para determinar a vida útil da formulação. A formulação escolhida será acondicionada em embalagem hermeticamente fechada, aluminizada e mantida a temperatura ambiente, à sombra, por 90 dias. A cada 15 dias será avaliado o número de UFC/mL deAHF. Ao final dos 90 dias, a formulação será aplicada em plantas de alface, no experimento de eficácia e praticabilidade agronômica. Para tanto, será instalado um experimento com doses crescentes da formulação escolhida no experimento anterior. Serão aplicadas as doses 0,100, 200, 400, 600, 800 e 1000 mL p.c./ha tratado em calda de 10 L/ha. Serão utilizadas cinco doses crescentes da formulação, a testemunha sem aplicação e o produto padrão (produto registrado para o alvo na cultura). Ao final das atividades, o resultado esperado da pesquisa será uma formulação à base de ácidos húmicos e fúlvicos e fungos nematófagos com ação nematicida, que possua as características necessárias para ser comercializado e utilizado no controle de nematoides. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.