Busca avançada
Ano de início
Entree

Relações entre a autolimpeza induzida por meta-clorofenilpiperazina (mCPP) e os comportamentos de checagem compulsiva e alternância espontânea em ratos

Processo: 17/02255-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Pesquisador responsável:Amanda Ribeiro de Oliveira
Beneficiário:Leticia Mitsuko Taguchi
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Psicobiologia   Transtorno obsessivo-compulsivo   Transtornos de ansiedade   Comportamento animal   Neurônios serotoninérgicos   Modelos animais

Resumo

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é caracterizado pela presença de obsessões e/ou compulsões que causam grande sofrimento aos portadores, que sentem a necessidade de realizar ações ritualísticas que são recorrentes e persistentes em seu pensamento. Com sua recente saída dos Transtornos de Ansiedade, a relação do TOC com a ansiedade vem sendo mais intensamente investigada, pois ampliou-se o espaço para discussão do grau de importância da ansiedade no TOC. Pesquisas anteriores mostraram que tratamentos baseados na habituação e redução de ansiedade apresentaram uma leve melhora dos comportamentos obsessivos-compulsivos. Além disso, cerca de 60% dos pacientes apresentam melhoras nos sintomas quando tratados com agonistas serotoninérgicos, o que pode indicar que a via serotoninérgica esteja relacionada a expressão desses sintomas. Estudos que utilizaram a administração do agonista serotoninérgico meta-clorofenilpiperazina (mCPP) em ratos mostraram um aumento da mastigação sem propósito e autolimpeza, comportamentos que podem ser associados ao TOC. Alguns comportamentos naturais que os ratos realizam, como a checagem natural do ambiente e a exploração de forma sequencial e alternada, podem também ser afetados pela ação de dosagens diferentes do mCPP. O presente estudo pretende contribuir para identificação de modelos animais promissores para o TOC, observando a ação do mCPP na indução do comportamento de autolimpeza e explorando sua relação com os comportamentos de checagem compulsiva e alternância espontânea, que já vem sendo utilizados nos estudos de TOC. Serão utilizados ratos Wistar machos divididos em 4 grupos: salina, mCPP 0,1 mg/kg, mCPP 1,0 mg/kg, e mCPP 3,0 mg/kg.