Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da inflamação sistêmica decorrente da isquemia/reperfusão hepática sobre o tecido adiposo visceral de camundongos

Processo: 16/17640-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Alessandra Gambero
Beneficiário:Lígia Fernanda Ferraz
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Bragança Paulista. Bragança Paulista , SP, Brasil
Assunto(s):Tecido adiposo   Reperfusão   Isquemia   Inflamação   Adipocinas   Obesidade

Resumo

A isquemia e a reperfusão se desenvolve quando ocorre uma obstrução de vasos sanguíneos com subsequente restabelecimento do fluxo, sendo sua ocorrência frequente em casos de isquemia miocárdica, choque, trauma, injúria hemorrágica, cirurgias e transplantes. Durante a isquemia hepática, por exemplo, ocorre a produção excessiva de radicais livres que ativam células de Kuppfer (macrófagos residentes no fígado) iniciando a produção de citocinas pró-inflamatórias. Com a reperfusão, neutrófilos e macrófagos são adicionalmente recrutados para o fígado levando ao aumento da produção de citocinas pró-inflamatórias que alcançam a circulação sistêmica desencadeando uma resposta inflamatória sistêmica que afeta órgãos remotos como pulmão, rins, intestino, pâncreas, adrenais e o coração. Embora seja bem estabelecido que o tecido adiposo se inflama e contribui para o estabelecimento de uma inflamação sistêmica crônica e de baixo grau durante a obesidade, pouco se sabe sobre os efeitos de um quadro de inflamação sistêmica sobre o tecido adiposo ou se o tecido previamente inflamado pela obesidade responderia da mesma forma e se o tecido adiposo também contribuiria para a inflamação sistêmica que se segue a injúria de isquemia e reperfusão. Assim, este projeto objetiva estudar os efeitos de uma inflamação sistêmica (injúria por isquemia/reperfusão hepática) sobre o tecido adiposo visceral em camundongos, avaliando a resposta inflamatória local (infiltrado de leucócitos, expressão de moléculas de adesão, produção de citocinas) e o funcionamento do tecido adiposo (lipólise), bem como a contribuição destes para a manutenção da inflamação sistêmica. Pretende-se também avaliar se o tecido adiposo previamente inflamado (obeso) promoveria as mesmas respostas. (AU)