Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso do DIU liberador de levonorgestrel em mulheres submetidas a transplantes de órgãos sólidos

Processo: 17/08595-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Luis Guillermo Bahamondes
Beneficiário:Paulo Stahlschmidt
Instituição-sede: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/20504-9 - Manifestações clínicas de usuárias de contraceptivos de somente progestogênios, AP.TEM
Assunto(s):Dispositivos intrauterinos   Levonorgestrel   Transplantes   Imunossupressão   Ginecologia

Resumo

Existe uma carência de dados na literatura sobre o uso de contracepção com dispositivos intrauterinos (DIU) em mulheres submetidas a transplantes de órgãos sólidos. Sabe-se que metade das mulheres que recebeu um órgão sólido volta a apresentar ciclos menstruais regulares e, desta forma, tem risco de gravidez. A gravidez em mulheres imunossuprimidas pós-transplante é de alto risco e pode acarretar em piora do estado materno e risco para o feto. Além disso, não há consenso sobre qual o melhor esquema imunossupressor na gravidez e como tratar a rejeição do órgão transplantado durante a gravidez. Métodos contraceptivos de longa duração, como o DIU, são então muito adequados para esta população. Porém, não há consenso na literatura sobre o uso do DIU em mulheres transplantadas com relação a segurança e efetividade. Os critérios de elegibilidade do Center for Disease Control (CDC) permitem o uso de DIU liberador de levonorgestrel em mulheres transplantadas sem complicações, mas a Sociedade Americana de Transplantes não recomenda o uso de DIU em mulheres em uso de imunossupressores devido ao risco de diminuição da efetividade e aumento do risco de infecção. Diante desta discrepância e da escassez de estudos, propomos a realização deste estudo com avaliação das mulheres transplantadas em uso de DIU liberador de levonorgestrel. Objetivo: Avaliar a aceitabilidade e efeitos colaterais do uso do DIU de levonorgestrel em mulheres transplantadas. Avaliar a história de doença inflamatória pélvica durante o uso do DIU. Como objetivos secundários, avaliar o padrão menstrual, tempo de uso e razão de descontinuidade ou grau de satisfação com o método. Materiais e Métodos: Estudo de corte transversal, com avaliação de todas as mulheres com transplantes usuárias de DIU de levonorgestrel. Critérios de inclusão: ter sido submetida a transplante de órgão sólido, estar em uso de imunossupressor, ter usado ou estar em uso de DIU liberador de levonorgestrel. Critério de exclusão: mulheres que não possam ser contatadas. As mulheres serão selecionadas através de um banco de dados de usuárias de DIU de levonorgestrel, presente no Ambulatório de Planejamento Familiar da UNICAMP, que contém aproximadamente 10 000 mulheres cadastradas. Após identificação das mulheres e coleta dos dados demográficos e relativos à inserção do DIU, presença de eventos adversos e razão de descontinuidade, será realizado contato telefônico, no qual serão checadas as drogas imunossupressoras em uso e dados relativos à aceitação do método. Os dados serão anotados em uma ficha desenhada para o estudo e posteriormente serão digitados em uma planilha do Microsoft Excel. Para análise estatística serão realizadas média com desvio padrão e porcentagens. (AU)