Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabilidade mecânica e atividade proteolítica da união resina-dentina produzida pela técnica de adesão seca à dentina biomodificada por cross-linkers

Processo: 17/03927-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Josimeri Hebling
Beneficiário:Mariana Citta
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Resistência à tração   Desidratação   Odontopediatria

Resumo

A água exerce um papel antagônico no processo de adesão à dentina. Enquanto a presença de água é importante nas fases iniciais para manter os espaços interfibrilares abertos para a subsequente infiltração do sistema adesivo, essa prejudica a infiltração de monômeros hidrofóbicos, favorece a separação de fases e dificulta a evaporação de solventes. Adicionalmente, a presença de água é fundamental para que proteases dentinárias, metaloproteinases da matriz (MMP) e cisteínas catepsinas, exerçam a sua função de degradação do colágeno. O objetivo desse trabalho será avaliar a estabilidade mecânica e atividade proteolítica da união resina-dentina produzida pela aplicação de sistemas adesivos com diferentes graus de hidrofilia sobre a dentina biomodificada por cross-linkers e desprovida de água. Cento e vinte e oito molares humanos serão coletados e sobre esses dentes serão preparadas superfícies planas em dentina. Os dentes serão inicialmente divididos em quatro grupos (n=32) de acordo com o tipo de agente cross-linker: proantocianidina 5% (PA); glutaraldeído 5% (GD); Gluma Desensitizer (GL) ou apenas água deionizada (controle). Esses agentes serão aplicados por 60 segundos sobre a dentina recém condicionada com ácido fosfórico e então removidos por meio de lavagem com água deionizada. Neste momento, cada grupo será subdividido aleatoriamente de acordo com a condição de hidratação da dentina. Em metade dos dentes (n=16) a dentina será mantida úmida por meio da remoção do excesso de água com papel absorvente. Nos restantes 16 dentes, a dentina será desidratada pela secagem contínua com ar comprimido por 30 segundos, à uma distância de 10 cm da superfície. Uma vez concluído o tratamento da dentina, os dentes serão mais uma vez subdivididos em dois grupos de 8 dentes cada. Dois sistemas adesivos experimentais serão manipulados possibilitando o cálculo dos parâmetros de solubilidade de cada um deles. Assim sendo, serão utilizados adesivos com diferentes graus de hidrofilia, um mais hifrófilo e outro menos hidrófilo. Os adesivos serão aplicados em duas camadas com evaporação do solvente separadamente para cada camada. Ao final, serão fotoativados por 20 segundos. Em seguida, serão construídos cilindros de resina composta, 3 incrementos de 1 mm cada, os quais também serão fotoativados por 20 segundos cada. Vinte e quatro horas após a finalização dos procedimentos adesivos e manutenção dos dentes imersos em água destilada, em estufa à 37 oC, os dentes serão seccionados para a obtenção de espécimes (área transversal de secção de 0,81 mm2) para o ensaio mecânico de microtração. Os espécimes obtidos de um mesmo dente serão aleatoriamente divididos em 2 conjuntos, nos quais os espécimes serão tracionados imediatamente, ou armazenados em solução tipo saliva por 12 meses. Sessenta e quatro dentes adicionais serão divididos e preparados como descrito acima, porém ao invés de espécimes para microtração, serão obtidas fatias com 0,5 mm de espessura para análise da nanoinfiltração de nitrato de prata e zimografia in situ, também nos períodos imediato e 12 meses. Testes estatísticos serão selecionados levando-se em consideração os fatores de variação do estudo ("cross-linker", "condição de umidade da dentina" e "período de envelhecimento") e o fator resposta "resistência de união". Esses testes serão repetidos para cada sistema adesivo com o objetivo de observar a repetição de fenômenos. Também serão observadas a aderência dos dados à curva normal e a homocedasticidade dos grupos. Todas as inferências estatísticas serão consideradas ao nível de significância de 5%. Nanoinfiltração e atividade proteolítica serão analisadas descritivamente. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CITTA, Mariana. Estabilidade mecânica e atividade proteolítica de interfaces produzidas com a técnica de adesão seca à dentina biomodificada. 2019. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Odontologia (Campus de Araraquara)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.