Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da minimização da Interferência Retroativa e administração aguda de benzodiazepínico na memória episódica

Processo: 16/22972-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Sabine Pompéia
Beneficiário:Isis Angelica Segura
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Memória episódica   Amnésia   Psicologia cognitiva   Diazepam

Resumo

Pacientes acometidos de amnésia anterógrada podem aprender informações novas se elas forem seguidas por minutos com mínima interferência retroativa (MIR: não fazer nada em penumbra). Entender este fenômeno é de suma importância para melhorar o aprendizado de pessoas com prejuízos de memória. Contudo, os participantes experimentais ideias para este fim, amnésicos puros, são escassos. Objetiva-se aqui avaliar se a administração aguda de uma dose oral de um benzodiazepínico a jovens saudáveis é um adequado modelo desta patologia que permite o desenvolvimento desta área de estudo. Participarão do estudo 30 universitários (18-30 anos) saudáveis. O estudo será duplo-cego, em grupos paralelos de tratamento. Após a obtenção de desempenho basal em recordação livre imediata de histórias seguidas de 15 minutos de uma tarefa de interferência retroativa (IR: achar diferenças entre figuras) ou MIR por 10 min (+5 min de achar diferenças), os participantes serão alocados aleatoriamente em um de dois tratamentos orais: placebo ou diazepam (15 mg). Após 60 min (pico de concentração teórico do fármaco), serão apresentadas outras histórias seguidas de recordação imediata com subsequente IR ou MIR. A ordem das versões das histórias e IR/MIR será balanceada. Ao final da sessão pós-tratamento será solicitada a recordação tardia de histórias seguida de IR e MIR de ambas as sessões basal e pós-tratamento. Após 7 dias, o decaimento na recordação tardia das histórias será avaliado. Se o diazepam for um adequado modelo de amnesia anterógrada para investigar os efeitos de MIR deverá: a) preservar a recordação da sessão basal (não causar amnésia retrógrada); b) causar maior amnesia anterógrada após IR do que MIR na sessão pós-tratamento e após 7 dias. (AU)