Busca avançada
Ano de início
Entree

Inflação inercial: teorias, prática e transformação (1980 - 1994)

Processo: 17/05173-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Teoria Econômica
Pesquisador responsável:Fernando Monteiro Rugitsky
Beneficiário:Lucas Bertola Herzog
Instituição-sede: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/11611-3 - Esfera pública e reconstrução: sobre a constituição de um paradigma reconstrutivo no campo da Teoria Crítica, AP.TEM
Assunto(s):Inflação   Plano Cruzado   Macroeconomia   Teoria monetária e financeira   História do pensamento econômico

Resumo

Este projeto visa efetuar uma releitura das formulações teóricas que antecederam o Plano Cruzado, com foco nos argumentos e pilares das teses inercialistas. Também será objetivo do projeto comparar as publicações de autores associados ao paradigma da inflação inercial antes e depois da realização do Plano. Serão priorizados os economistas que não apenas participaram da administração do Cruzado, como também deram contribuições teóricas relevantes anteriores e posteriores a 1986. Dentro desse critério, destacam-se Persio Arida, André Lara Resende e Edmar Bacha. A primeira parte do projeto focará na análise das publicações inercialistas anteriores ao Plano Cruzado, sob a ótica da História do Pensamento Econômico. A segunda parte fará uma leitura histórica do Plano Cruzado. Por fim, na terceira parte, será feita uma análise das publicações sobre inflação inercial posteriores ao Plano, com foco nos economistas citado acima. A hipótese a ser testada no projeto entende que houve uma mudança importante no modo de tratamento teórico da inflação inercial após o Plano Cruzado. Essa transformação estaria primordialmente associada a uma mudança no paradigma teórico macroeconômico global, com a consolidação do consenso novo-keynesiano. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.