Busca avançada
Ano de início
Entree

Ampliação do registro ASSIST de cardiopatias congênitas no Sistema Único de Saúde do estado de São Paulo

Processo: 17/05595-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Marcelo Biscegli Jatene
Beneficiário:Lucas Eduardo Albieri
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/15039-8 - ''ASSIST'' ampliação do registro ASSIST de cardiopatias congênitas no Sistema Único de Saúde do estado de São Paulo, AP.PP.SUS
Assunto(s):Mortalidade   Cardiopatias congênitas   Procedimentos cirúrgicos cardíacos   Fatores de risco   São Paulo

Resumo

Cardiopatia congênita responde hoje por cerca de 20% dos óbitos infantis no estado de São Paulo. O governo do Estado tem desenvolvido estratégias para possibilitar o acesso ao tratamento por meio de investimentos em unidades capacitadas para o atendimento desses pacientes. A iniciativa ASSIST, contemplada com recursos do PPSUS/2013, implantou um registro de cardiopatias congênitas em dois hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) do estado de São Paulo: Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), e Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCFMRP-USP). O projeto anterior resultou em identificação do perfil da população atendida, confirmou a aplicabilidade de escores de risco internacionais em nossa realidade, e identificou que os desfechos ainda são sub-ótimos, se comparados com a literatura internacional. Foram identificadas oportunidades de melhorias para a rede estadual. O presente projeto tem por objetivo ampliar o registro para todos os hospitais do SUS-SP que realizam atendimento cirúrgico de crianças e adolescentes portadores de cardiopatias congênitas. O projeto visa subsidiar dados como taxas de morbimortalidade por ano em cada estrato de risco para SES-SP implementar melhorias no atendimento dos pacientes tratados no SUS construindo a matriz da força de influência dos fatores de risco significativos sobre desfechos e custos. Objetivo Geral: Avaliar os desfechos (morbidade e mortalidade), estratificados de acordo com escalas de risco, em portadores de cardiopatias congênitas submetidos à cirurgia cardíaca, no âmbito do Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo (SUS-SP). Objetivos secundários: * Consolidar o registro ASSIST de cardiopatias congênitas; * Incluir novos centros do SUS-SP que atendem a população de interesse; * Avaliar o perfil da população submetida a cirurgia de cardiopatia congênita no Estado de São Paulo; * Analisar os resultados hospitalares de terapias cirúrgicas de cardiopatia congênita em nível estadual; * Identificar oportunidades de melhorias para a rede estadual de interesse da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP). Desenho do estudo: Estudo clínico prospectivo, longitudinal, epidemiológico, de série de casos consecutivos. Dinâmica do estudo: Pacientes portadores de cardiopatias congênitas no âmbito do Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo serão avaliados clinicamente nas instituições participantes. Durante a internação hospitalar, dados clínicos e cirúrgicos serão coletados, e instrumentos de avaliação de risco serão aplicados. Todas as variáveis foram colocadas num formato para preenchimento com papel e caneta. Após a avaliação clínica, os dados coletados serão inseridos em plataforma online que utiliza o software REDCap (Research Electronic Data Capture) e recursos computacionais da Nuvem USP. Os desfechos de interesse para a análise consistem em (I) requerimentos de recursos diagnósticos e terapêuticos hospitalares; (II) ocorrência de complicações; (III) mortalidade hospitalar, definida como a ocorrência de óbito até 30 dias após a cirurgia, e total durante o período do estudo. A análise estratificada será feita com base nos escores de risco RACHS-1 e Aristotle Basic Score (ABC). Esta servirá à SES-SP para determinar e planejar os requerimentos diagnósticos e terapêuticos hospitalares por estrato de risco, bem como recurso para atualizar e aprimorar a capacidade instalada, inovar e implementar melhorias no atendimento dos pacientes tratados no SUS. (AU)