Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação entre o Batrachochytrium dendrobatidis e o Ranavírus em assembleias de anuros do Sul da Mata Atlântica

Processo: 17/01917-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 22 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Luis Felipe de Toledo Ramos Pereira
Beneficiário:Joice Ruggeri Gomes
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/05217-1 - Mudanças na composição do microbioma cutâneo de anuros infectados com Batrachochytrium dendrobatidis (Chytridiomycota) e ranavírus (Iridoviridae), BE.EP.PD
Assunto(s):Quitridiomicose   Anfíbios

Resumo

Dentre os fatores que ameaçam a biodiversidade mundial, as doenças infecciosas emergentes estão entres os principais. O ranavírus (Rv) e o Batrachochytrium dendrobatidis (Bd) são os maiores responsáveis pelo declínio de populações de anfíbios, que representa o grupo de vertebrados mais ameaçados. Ambos são patógenos transmitidos tanto pela água quanto pelo contato entre indivíduos, o que torna a dispersão extremamente eficiente. A rã-touro (Lithobates catesbeianus) é geralmente tolerante ao Bd e Rv, podendo atuar como vetor dos dois agentes patogênicos. Assim, a comercialização dessa espécie para o consumo da carne gera a movimentação global desses microrganismos que pode culminar na introdução desses agentes em novas regiões e populações sensíveis. No Brasil, populações bem estabelecidas de rã-touro podem ser encontradas na Mata Atlântica, onde a distribuição do Bd é conhecida. Porém, o conhecimento acerca do Rv ficou limitado aos ranários, e a interação entre os dois patógenos nunca foi investigada. Sendo assim, iremos investigar a presença de Rv em áreas de alta abundância de rã-touro selvagens. Uma vez que a coinfecção por Bd e Rv já foi reportada para espécies nativas em outras regiões do mundo, podendo intensificar o declínio populacional de anfíbios, indivíduos de anuros nessas áreas também serão amostrados para a detecção de ambos os microrganismos. Assim, será possível identificar a dinâmica do vírus em diferentes espécies de anuros e hábitats, e a interação do Bd e Rv nos anuros desse bioma. As consequências da coinfecção para as assembleias de anuros será discutida visando auxiliar nos planos de manejo para a sua conservação. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Anfíbios infectados por ranavírus são detectados na Mata Atlântica 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias: (34 total)
Mais itensMenos itens

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RUGGERI, JOICE; DE CARVALHO-E-SILVA, SERGIO POTSCH; JAMES, TIMOTHY Y.; TOLEDO, LUIS FELIPE. Amphibian chytrid infection is influenced by rainfall seasonality and water availability. DISEASES OF AQUATIC ORGANISMS, v. 127, n. 2, p. 107-115, JAN 31 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.