Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos espaços de fase macro e microfísicos em tempestades: perspectivas para o nowcasting

Processo: 17/04654-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 11 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Maria Assunção Faus da Silva Dias
Beneficiário:Micael Amore Cecchini
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/14497-0 - Previsão imediata de tempestades intensas e entendimento dos processos físicos no interior das nuvens: o SOS-CHUVA (Sistema de Observação e Previsão de Tempo Severo), AP.PFPMCG.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/09082-3 - Características das distribuições de tamanho de diferentes espécies de gelo no espaço de fase gamma, BE.EP.PD
Assunto(s):Microfísica de nuvens

Resumo

Nuvens convectivas profundas de tempestade apresentam alto impacto à sociedade, dada sua alta capacidade de gerar eletrificação e precipitação intensa. No entanto, a previsibilidade com suficiente antecedência de tais sistemas apresenta baixa eficiência dada a complexidade dos processos envolvidos em sua formação. O presente projeto tem como objetivo geral o estudo das características macro e microfísicas de tais sistemas, utilizando radar polarimétrico para desenvolver espaços de fase para análise de padrões. O espaço de fase microfísico será definido a partir da estimativa das distribuições de tamanho (DSDs) dos hidrometeoros, que definem a maior parte dos processos microfísicos no interior das nuvens. O conceito de espaço de fase é ideal para analisar a variabilidade das DSDs, uma vez que é capaz de representar prontamente o sistema como um todo ou mesmo um conjunto de sistemas. Em termos de espaço de fase macrofísico, serão consideradas variáveis como o conteúdo integral de água líquida na vertical (VIL) e a altitude do centro de massa da nuvem. Ambos espaços de fase (micro e macro), juntamente com o tracking dos sistemas e a classificação de hidrometeoros permitirão uma visão holística do desenvolvimento das tempestades e têm potencial de aprimorar as técnicas existentes de nowcasting a partir de um ponto de vista científico inédito. Para tal finalidade, serão utilizados dados coletados pelo radar banda X adquirido pelo projeto SOS-CHUVA (processo FAPESP 15/14497-0), bem como de outros radares já existentes com cobertura na região próxima a Campinas-SP, buscando construir um banco de dados que contenha o histórico das tempestades intensas observadas, confirmadas pela nova rede de detecção de granizo instalada no contexto do projeto temático associado. Sistemas menos intensos serão analisados para comparação e os resultados serão também comparados e validados com medidas de disdrômetro em superfície e rodadas idealizadas de modelo numérico. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.