Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução da genitália da família de aranhas Segestriidae (Araneae, Dysderoidea)

Processo: 17/06384-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 04 de junho de 2017
Vigência (Término): 12 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Antonio Domingos Brescovit
Beneficiário:André Marsola Giroti
Supervisor no Exterior: Peter Michalik
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Greifswald, Alemanha  
Vinculado à bolsa:13/20008-6 - Análise cladística dos gêneros de Segestriidae (Araneae; Dysderoidea), BP.DR
Assunto(s):Microscopia eletrônica de varredura   Morfologia animal

Resumo

Atualmente a família Segestriidae Simon, 1893 é composta por 124 espécies descritas incluídas em quatro gêneros: Segestria Latreille, 1804, Ariadna Audouin, 1826, Gippsicola Hogg, 1900 e Citharoceps Chamberlin, 1924. Segestriidae é parte da superfamília Dysderoidea, a qual inclui também Dysderidae C. L. Koch, 1837, Orsolobidae Cooke, 1965 and Oonopidae Simon, 1890. Aranhas dessas famílias são caracterizadas por possuir uma distinta bursa copulatória bipartida, característica que foi sugerida como uma sinapomorfia putativa para esta superfamília. Entretanto, comparada com as demais famílias de Dysderoidea, pouco se sabe sobre a genitália de Segestriidae, não existindo estudos morfológicos envolvendo os quatro gêneros da mesma. Sendo assim, o objetivo da presente proposta é apresentar o primeiro estudo morfológico detalhado das genitálias masculina e feminina de espécies dos quatro gêneros de Segestriidae (além de três possíveis gêneros novos), usando Microtomografia Computadorizada e Microscopia Eletrônica de Varredura, buscando definir terminologias, inferir hipóteses de homologia entre as estruturas encontradas e delimitar caracteres e estados de caracteres que serão utilizados em minha atual tese de doutorado sobre a filogenia dos gêneros de Segestriidae. Finalmente, os dados obtidos serão utilizados como base para reconstruir não somente a evolução da genitália dentro de Segestriidae, mas também constribuir significantemente para a evolução da genitália da superfamília Dysderoidea. Como a proposta desta bolsa visa uma estadia em Greifswald, Alemanha, eu planejo também comparecer e apresentar meus resultados no 30th European Congress of Arachnology, em Nottingham, Inglaterra, de 20 a 25 de Agosto de 2017. (AU)