Busca avançada
Ano de início
Entree

Contribuição da PKM2 para a ativação dos neutrófilos no estabelecimento do lúpus eritematoso sistêmico experimental

Processo: 17/01714-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:José Carlos Farias Alves Filho
Beneficiário:Juliana Escher Toller
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08216-2 - CPDI - Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):19/25298-9 - Papel da PKM2 no metabolismo e na função de neutrófilos, BE.EP.PD
Assunto(s):Lúpus eritematoso sistêmico   Autoimunidade   Neutrófilos

Resumo

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune inflamatória crônica, caracterizada pela formação de imunocomplexos e lesão a órgãos e tecidos. Embora a etiologia do LES permaneça desconhecida, os neutrófilos têm sido implicados como atores centrais no estabelecimento da doença, regulando a imunidade inata e adaptativa. Considerando evidências recentes de que a execução das funções dos leucócitos está intimamente ligada a uma modificação do seu estado metabólico, é plausível hipotetizar que alterações no metabolismo dos neutrófilos podem determinar um estado de ativação que contribui para o desenvolvimento da autoimunidade no LES. A piruvato quinase (PK) é uma enzima que regula a etapa final da glicólise, produzindo piruvato e ATP a partir de seu substrato fosfoenolpiruvato (PEP). Estudos recentes têm demonstrado que a piruvato quinase de tipo M2 (PKM2), um splice alternativo da PK, pode sofrer modificações pós-traducionais e translocar-se para o núcleo, atuando como cofator transcricional de STAT3 e HIF1a e, consequentemente, modulando a expressão de genes inflamatórios. Entretanto, o papel da PKM2 na regulação do metabolismo glicolítico dos neutrófilos e na patogênese do LES não está estabelecido. Assim, este trabalho tem por objetivo investigar se alterações na expressão e/ou função da PKM2 contribuem para a ativação do neutrófilo e estabelecimento do LES experimental. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALVES DAMASCENO, LUIS EDUARDO; PRADO, DOUGLAS SILVA; VERAS, FLAVIO PROTASIO; FONSECA, MIRIAM M.; TOLLER-KAWAHISA, JULIANA E.; ROSA, MARCOS HENRIQUE; PUBLIO, GABRIEL AZEVEDO; MARTINS, TIMNA VARELA; RAMALHO, FERNANDO S.; WAISMAN, ARI; et al. PKM2 promotes Th17 cell differentiation and autoimmune inflammation by fine-tuning STAT3 activation. JOURNAL OF EXPERIMENTAL MEDICINE, v. 217, n. 10, . (13/08216-2, 16/05377-3, 17/01714-8, 18/23910-6, 16/10280-9)
LUIZ, JOAO PAULO M.; TOLLER-KAWAHISA, JULIANA E.; VIACAVA, PAULA R.; NASCIMENTO, DANIELE C.; PEREIRA, PRISCILLA T.; SARAIVA, ANDRE L.; PRADO, DOUGLAS S.; LEBERT, MARC; GIURISATO, EMANUELE; TOURNIER, CATHY; et al. MEK5/ERK5 signaling mediates IL-4-induced M2 macrophage differentiation through regulation of c-Myc expression. Journal of Leukocyte Biology, . (17/20692-5, 13/08216-2, 11/12671-1, 17/01714-8, 16/05377-3)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.