Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da bioacessibilidade in vitro e da biodisponibilidade in vivo de arsênio ingerido através do arroz comumente consumido por brasileiros

Processo: 16/19924-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Bruno Lemos Batista
Beneficiário:Tatiana Pedron
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/05151-0 - Arsênio e arroz: monitoramento e estudos de (bio)remediação para segurança alimentar, AP.JP
Assunto(s):Arsênio   Arroz

Resumo

Elementos não essenciais como arsênio (As) são detectados em grãos de arrozes em diversas regiões do mundo, o que pode representar riscos à saúde humana pois, é um elemento tóxico mesmo em concentrações baixas. Uma vez que cultivares de arroz sob condições anaeróbicas (sistema de várzea) absorvem cerca de 4 vezes mais As do que em condições aeróbicas (terras altas), e que um dos fatores a ser considerado é o fato de que o As é carcinogênico para humanos, estudos têm sido realizados para determinar as concentrações de As não somente no arroz mas em diversos alimentos. O principal local de absorção de elementos químicos como As ocorre no trato gastrointestinal, sendo a principal via de exposição os alimentos. No trato gastrointestinal o As pode ser biotransfomado pelas células do sistema digestivo ou biotransformado pelo fígado e assim conduzido pela corrente sanguínea a outros órgãos e tecidos causando efeitos deletérios. Existem diversos estudos tanto in vitro quanto em in vivo envolvendo animais, no entanto testes envolvendo seres humanos são raros. Ensaios com seres humanos são fundamentais para a compreensão da interação do As como o corpo humano, uma vez que diversos fatores podem influenciar a biodisponibilidade do As. Assim, o presente projeto tem como finalidade avaliar a bioacessibilidade in vitro e biodisponibilidade em voluntários sob dieta a base de arroz comumente consumidos por brasileiros (adquiridos em supermercados). (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PEDRON, TATIANA; FREIRE, BRUNA MOREIRA; CASTRO, CARLOS EDUARDO; RIBAL, LUIZ FELIPE; BATISTA, BRUNO LEMOS. Availability of arsenic in rice grains by in vitro and in vivo (humans) assays. JOURNAL OF TRACE ELEMENTS IN MEDICINE AND BIOLOGY, v. 56, p. 184-191, DEC 2019. Citações Web of Science: 0.
PEDRON, TATIANA; SEGURA, FABIANA ROBERTA; PANIZ, FERNANDA POLIO; SOUZ, FELIPE DE MOURA; DOS SANTOS, MAURO COELHO; DE MAGALHAES JUNIOR, ARIANO MARTINS; BATISTA, BRUNO LEMOS. Mitigation of arsenic in rice grains by polishing and washing: Evidencing the benefit and the cost. JOURNAL OF CEREAL SCIENCE, v. 87, p. 52-58, MAY 2019. Citações Web of Science: 0.
SOUZA, FELIPE DE MOURA; PANIZ, FERNANDA POLLO; PEDRON, TATIANA; DOS SANTOS, MAURO COELHO; BATISTA, BRUNO LEMOS. A high-throughput analytical tool for quantification of 15 metallic nanoparticles supported on carbon black. HELIYON, v. 5, n. 3 MAR 2019. Citações Web of Science: 1.
PANIZ, FERNANDA POLLO; PEDRON, TATIANA; FREIRE, BRUNA MOREIRA; TORRES, DAIANE PLACIDO; SILVA, FABIO FERREIRA; BATISTA, BRUNO LEMOS. Effective procedures for the determination of As, Cd, Cu, Fe, Hg, Mg, Mn, Ni, Pb, Se, Th, Zn, U and rare earth elements in plants and foodstuffs. ANALYTICAL METHODS, v. 10, n. 33, p. 4094-4103, SEP 7 2018. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.