Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação da ressonância magnética para estudo quantitativo da microarquitetura óssea e sua relação com o acúmulo de gordura muscular e óssea no diabetes mellitus tipo 2

Processo: 16/18574-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Francisco José Albuquerque de Paula
Beneficiário:Iana Mizumukai de Araujo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus tipo 2   Ressonância magnética   Osteoporose

Resumo

A fragilidade óssea recentemente foi reconhecida como uma das complicações do diabetes mellitus tipo 2 (DM2). A massa óssea do DM2 é normal ou elevada quando comparada com um grupo controle. Desta forma, a fragilidade óssea pode estar relacionada com prejuízo na qualidade óssea. A densitometria óssea, mesmo sendo o padrão ouro de avaliação da massa óssea, não revela parâmetros de qualidade óssea. Assim, torna-se necessário explorar outras ferramentas capazes de inferir parâmetros de qualidade óssea. A ressonância magnética é uma ferramenta capaz de quantificar a adiposidade de medula óssea e também o trabeculado ósseo. A adiposidade da medula óssea é um fator que vem sendo estudado como parâmetro que se correlaciona negativamente com a massa óssea, como por exemplo na anorexia nervosa e osteoporose. Como a fragilidade óssea no DM2 é uma consequência que leva ao aumento da morbidade e mortalidade, torna-se importante identificar os grupos de risco para evitar as fraturas. Para isso, exames como espectroscopia por ressonância magnética da coluna lombar e músculo e exames de imagem do trabeculado ósseo da tíbia e espectroscopia para a quantificação de adiposidade de medula óssea neste local serão realizados a fim de elucidar o papel da distribuição de gordura corporal na massa óssea. Exame de densitometria óssea será realizado para quantificar a massa óssea e também a composição corporal dos sujeitos estudados. Serão realizados exames bioquímicos para identificar alterações dos fatores secretados por estes sistemas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PARREIRAS-E-SILVA, LUCIANA T.; DE ARAUJO, IANA M.; ELIAS, JR., JORGE; NOGUEIRA-BARBOSA, MARCELLO H.; SUEN, VIVIAN M. M.; MARCHINI, JULIO S.; BONELLA, JESSICA; NAHAS, ANDRESSA K.; SALMON, CARLOS E. G.; DE PAULA, FRANCISCO J. A. Short bowel syndrome: influence of nutritional therapy and incretin GLP1 on bone marrow adipose tissue. Annals of the New York Academy of Sciences, v. 1415, n. 1, SI, p. 47-56, MAR 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.