Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de novo modelo de haste intramedular bloqueada. detalhamento do material, da técnica de implantação e ensaio biomecânico no fêmur canino

Processo: 17/03027-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Luis Gustavo Gosuen Gonçalves Dias
Beneficiário:Maria Eduarda Bastos Andrade Moutinho da Conceição
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/01422-2 - Aprendizado no sistema de placas bloqueadas e seu uso no tratamento de fraturas apendiculares, BE.EP.DR
Assunto(s):Ortopedia

Resumo

As hastes bloqueadas são conhecidas por suas vantagens biomecânicas, porém o modelo comercializado nacionalmente é pouco preciso quanto aos bloqueios dos parafusos, não obstante apresenta significante folga (slack) entre o parafuso e o orifício da haste, causando instabilidade residual no foco de fratura, ocorrendo falha ou retardo na reparação óssea. Visto isso, objetivou-se desenvolver, descrever e avaliar a exequibilidade de novo modelo de haste intramedular bloqueada e material para sua implantação, bem como compará-la a haste nacional modelo Popak e também com a técnica de pino e placa (plate-rod) por meio de ensaio biomecânico de compressão, torção e flexão. Dentre as alterações propostas no equipamento, destaca-se a confecção de roscas nos orifícios do guia de perfuração que conjuntamente a luvas rosqueadas proporcionará maior acurácia nas perfurações, minimizando os corriqueiros erros de bloqueio, ademais a haste terá roscas nos orifícios de bloqueio para perfeito rosqueamento no parafuso, que por sua vez será composto por três porções: a primeira terá perfil liso, a segunda será roscada, o que permitirá o bloqueio com as roscas do orifício da haste, e a terceira porção terá perfil também roscado, porém mais delgado para se fixar na cortical óssea oposta (trans). Para os ensaios biomecânicos utilizar-se-á 60 fêmures macerados de 30 cães com mais de 20 kg de massa corpórea. Todos os fêmures serão submetidos à falha óssea na diáfise média. Os 30 fêmures esquerdos receberão a nova haste em tela, e, quanto aos direitos, 15 serão implantados com a haste nacional (Sistema Popak) e os 15 remanescentes com a técnica de placa e pino. Os ensaios biomecânicos serão pareados comparando-se os ossos contralaterais do mesmo cão contendo implantes diferentes (haste nova versus haste Popak, e haste nova versus placa e pino). Espera-se que com as mudanças estruturais no sistema, a nova haste seja mais resistente às forças estudadas quando comparada às outras técnicas testadas (AU)