Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigando o componente genético da refratariedade medicamentosa na epilepsia de lobo temporal mesial: um estudo multicêntrico internacional

Processo: 17/04891-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Iscia Teresinha Lopes Cendes
Beneficiário:Miriam Coelho Molck
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07559-3 - Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia - BRAINN, AP.CEPID
Assunto(s):Neurologia

Resumo

A Epilepsia do Lobo Temporal Mesial (ELTM) é a forma mais comum de epilepsia focal na população adulta e, muitos desses pacientes têm crises epiléticas refratárias aos tratamentos com drogas antiepilépticas (DAEs). Para estes pacientes, a indicação cirúrgica é uma opção para controlar as crises. Entretanto, devido aos inúmeros testes com diferentes combinações de DAEs o tempo de indicação cirúrgica pode ser prolongado. Em um trabalho recente do nosso grupo demonstramos ser possível usar um algoritmo de predição para refratariedade às DAEs em pacientes com ELTM a partir de uma combinação de informações genética e clínica. Este modelo incluiu 56 SNPs em genes candidatos e a presença de esclerose hipocampal, levando a uma acurácia de predição de 0.8177. Esta foi a primeira evidencia apresentada na literatura de que informação genética pode aumentar a capacidade de predição de resistência medicamentosa em pacientes com ELTM, reduzindo o tempo para se propor uma alternativa de tratamento mais eficaz. No entanto, nosso estudo foi realizado em apenas um centro clínico e teve um desenho do tipo transversal, onde o desfecho foi determinado de modo retrospectivo. Isso posto, a presente proposta tem como objetivo principal validar e expandir o trabalho anterior avaliando pacientes de múltiplos centros clínicos em diversos países, e de forma prospectiva. Para isso propomos realizar um estudo internacional colaborativo no âmbito do consórcio internacional de epilepsias genéticas de herança complexa que se abriga na comissão de classificação da International League Against Epilepsy (ILAE). Nossa proposta é de um estudo realizado em duas fases: i) a primeira fase será realizada também com o desenho transversal, mas com pacientes oriundos dos diversos grupos colaboradores da comissão da ILAE. Nessa etapa serão recrutados pelo menos 300 pacientes divididos em dois grupos de resposta ao tratamento. Serão genotipados os mesmos SNPs que tiveram contribuição significativa para predição de refratariedade medicamentosa em nosso estudo já publicado. Serão também genotipados SNPs que possibilitem estudo de associação genômica (SNPs-GWAS) de forma agnóstica. ii) A segunda fase será um estudo prospectivo incluindo pelo menos 500 pacientes com ELTM e divididos nos dois grupos de resposta ao tratamento. Nessa fase serão também genotipados os mesmos SNPs da fase I. Esperamos com essa estratégia ser possível propor um algoritmo de investigação aplicado à prática clínica que será capaz de predizer à priori, com alta acurácia, quais pacientes com ELTM serão refratários ao tratamento medicamentoso. Esses resultados levarão a determinação dos mecanismos moleculares que levam a refratariedade medicamentosos em pacientes com ELTM, além de propiciarem uma indicação cirúrgica precoce naqueles pacientes com alta probabilidade de refratariedade ao tratamento clínico. (AU)