Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da arquitetura vegetal do tomateiro (Solanum lycopersicum l.) sobre a produtividade, eficiência do uso da água e resistência aos estresses por seca e salinidade

Processo: 16/05566-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Lázaro Eustaquio Pereira Peres
Beneficiário:Mateus Henrique Vicente
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/50220-2 - Enhancing salt tolerance in tomato crops for advancing sustainable agriculture and food production, AP.TEM
Assunto(s):Produtividade   Desenvolvimento vegetal

Resumo

O substancial aumento de produtividade durante a Revolução Verde pode ser atribuído a uma série de fatores, sendo a alteração na partição de biomassa entre órgãos vegetativos e reprodutivos, o principal determinante genético. Contudo, essa interpretação fisiológica dos componentes genéticos da produtividade ainda é pouco explorada no melhoramento. Durante o mestrado do proponente, foi determinado que genótipos de tomateiro (Solanum lycopersicum L) que exibem hábito de crescimento semi-determinado, o qual caracteriza-se por uma extensão do crescimento vegetativo, apresentam aumentos significativos na produtividade e teor de sólidos solúveis totais, bem como, na eficiência do uso da água (EUA), que reflete à relação entre a produção de biomassa e/ou do produto de interesse comercial e a quantidade de água transpirada pelas plantas. Logo, nossa hipótese de trabalho é que variações alélicas em genes que controlam o hábito de crescimento são na verdade uma maneira de se chegar a um balanço vegetativo-reprodutivo ótimo, tal qual o alcançado durante a Revolução Verde para cultivares de trigo e arroz de alto rendimento. No presente trabalho, essa hipótese será testada produzindo linhas quase isogênicas (NILs) de tomateiro (cv. Micro-Tom) com alterações no balanço vegetativo-reprodutivo por meio da introgressão de variações alélicas que controlem não somente o hábito de crescimento, mas também as ramificações laterais, o comprimento dos entrenós e o número de folhas por unidade simpodial. O desempenho produtivo dos genótipos será avaliado através de parâmetros quantitativos (biomassa de cada compartimento, incluindo os frutos) e qualitativos (grau Brix, acidez total e conteúdo de carotenóides). A EUA será avaliada tanto gravimetricamente quanto através de discriminação isotópica do carbono (”13C). Também será avaliado o impacto dessas variações alélicas sobre o desempenho produtivo das plantas sob condição de déficit hídrico. A presente proposta integra conhecimentos básicos de fisiologia e genética com a busca de objetivos práticos, o que pode gerar ganho conceitual aplicável não somente ao tomateiro, mas a outras culturas de importância econômica. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ROBLEDO, JESSENIA M.; MEDEIROS, DAVID; VICENTE, MATEUS H.; AZEVEDO, ARISTEA A.; THOMPSON, ANDREW J.; PERES, LAZARO E. P.; RIBEIRO, DIMAS M.; ARAUJO, WAGNER L.; ZSOGON, AGUSTIN. Control of water-use efficiency by florigen. PLANT CELL AND ENVIRONMENT, v. 43, n. 1, p. 76-86, JAN 2020. Citações Web of Science: 0.
SILVA, WILLIAN B.; VICENTE, MATEUS H.; ROBLEDO, JESSENIA M.; REARTES, DIEGO S.; FERRARI, RENATA C.; BIANCHETTI, RICARDO; ARAUJO, WAGNER L.; FRESCHI, LUCIANO; PERES, LAZARO E. P.; ZSOGON, AGUSTIN. SELF-PRUNING Acts Synergistically with DIAGEOTROPICA to Guide Auxin Responses and Proper Growth Form. Plant Physiology, v. 176, n. 4, p. 2904-2916, APR 2018. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.