Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da virulência e caracterização fenotípica e genômica de estirpes de Corynebacterium spp. isoladas de infecção urinária de suínos

Processo: 16/25745-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Andrea Micke Moreno
Beneficiário:Luisa Zanolli Moreno
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Microbiologia   Genômica comparativa   RNA ribossômico 16S   Virulência   Corynebacterium   Infecções urinárias   Suínos   Espectrometria de massas por ionização e dessorção a laser assistida por matriz   Brasil

Resumo

O gênero Corynebacterium ainda é pouco estudado, apesar da importância das espécies toxigênicas tanto para a saúde humana quanto para a animal. O impacto da infecção por estes microrganismos na suinocultura ainda não foi abordado, tanto no cenário internacional quanto para a realidade brasileira, embora o suíno já tenha sido descrito como portador de espécies de Corynebacterium. O objetivo do presente estudo é caracterizar estirpes de Corynebacterium spp. que foram isoladas do trato gênito-urinário de matrizes suínas. As estirpes foram previamente identificadas como C. confusum, C. amycolatum, C. diphtheriae e para um grupo de seis estirpes não foi possível identificar a espécie por meio das técnicas de MALDI-TOF MS e sequenciamento dos genes 16S rRNA e rpoB. Dessa forma, o presente projeto propõe a avaliação da virulência das distintas espécies de Corynebacterium isoladas de suínos com o modelo in vivo de Galleria mellonella; a caracterização e comparação dos respectivos perfis bioquímicos pelo sistema Biolog®, e o sequenciamento e análise comparativa dos genomas. A associação da avaliação in vivo da virulência com a genômica possibilitará a identificação dos mecanismos genéticos da virulência observada no modelo proposto. A comparação com genomas de estirpes da mesma espécie, mas originárias de distintos hospedeiros, também possibilitará a identificação de possível predisposição genética a determinados hospedeiros. Além disso, a análise genômica permitirá concluir a identificação bacteriana de forma a confirmar a suspeita de isolamento de uma nova espécie ou subespécie do gênero Corynebacterium em suínos no Brasil. (AU)