Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do efeito de células-tronco mesenquimais de ratos não osteoporóticos sobre a diferenciação osteoblástica de células-tronco mesenquimais de ratos osteoporóticos

Processo: 17/07213-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Márcio Mateus Beloti
Beneficiário:Julia de Lima
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Osso e ossos   Osteoblastos   Osteoporose

Resumo

A osteoporose pode ser causada por vários fatores e leva à fragilidade óssea e maior susceptibilidade à fraturas. Por ser menos frequente em homens do que em mulheres, a osteoporose é menos estudada nesses indivíduos. Porém, a mortalidade e morbidade relacionadas a essa doença, geralmente associada à deficiência de testosterona, também é preocupante nesses pacientes. Portanto, a osteoporose em pacientes do sexo masculino constitui importante problema de saúde mundial e deve ser melhor estudada. Vários tratamentos têm sido propostos com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de homens com osteoporose. Entre os tratamentos, uma alternativa promissora é o uso da terapia celular, baseada no uso de células-tronco mesenquimais (CTMs) e/ou osteoblastos diferenciados a partir dessas CTMs, para tratar os danos ao tecido ósseo causados pela osteoporose. Portanto, o objetivo do presente projeto será avaliar a influência de CTMs derivadas de medula óssea de ratos não osteoporóticos sobre a diferenciação osteoblástica de CTMs derivadas de medula óssea de ratos osteoporóticos, crescidas em condições osteogênicas, utilizando um modelo de co-cultura indireta. Para isso, CTMs serão obtidas de medula óssea de ratos osteoporóticos (ORX-CTMs), cuja osteoporose será induzida por orquiectomia, e não osteoporóticos (NO-CTMs) e expandidas in vitro em meio de crescimento. Em seguida, será realizada a co-cultura indireta em meio osteogênico utilizando placas de 24 poços com insertos, de forma que os insertos contenham NO-CTMs, enquanto que as ORX-CTMs serão cultivadas no fundo dos poços. Os controles serão NO-CTMs e ORX-CTMs não co-cultivadas, crescidas isoladamente em meio osteogênico, as quais serão comparadas com as ORX-CTMs crescidas em co-cultura indireta com NO-CTMs. As respostas celulares avaliadas serão proliferação celular, atividade de fosfatase alcalina (ALP), formação de matriz extracelular mineralizada e expressão gênica dos marcadores osteoblásticos RUNX2, osterix, ALP, sialoproteína óssea e osteocalcina. Os dados serão submetidos ao teste de aderência à curva normal para determinar o teste estatístico adequado. Os resultados desse estudo poderão contribuir para determinar as características de células candidatas ao uso em terapia celular em homens com osteoporose, visto que, até o momento, este é um tema pouco explorado na literatura.