Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da pressão arterial e alterações do sistema renina-angiotensina em um modelo animal de anemia falciforme

Processo: 17/03954-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Nicola Amanda Conran Zorzetto
Beneficiário:Pamela Lara de Brito
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/00984-3 - Doenças dos glóbulos vermelhos: fisiopatologia e novas abordagens terapêuticas, AP.TEM
Assunto(s):Anemia falciforme   Sistema renina-angiotensina   Nefropatias   Hematologia   Pressão sanguínea

Resumo

A anemia falciforme (AF) é uma doença hematológica hereditária que acomete o gene da ²-globina, onde ocorre a substituição de uma base nitrogenada adenina por uma timina, levando a síntese de hemoglobina anômala S (HbS). Sob baixas concentrações de oxigênio, a HbS polimeriza e a hemácia adota um formato caracteristicamente falcizada. Estas hemácias, com propriedades químico-físicas alteradas interagem com o endotélio, plaquetas e leucócitos. Estas interações junto com os processos hemolíticos podem resultar na inflamação vascular que é associada à doença e, eventualmente aos processos vaso-oclusivos (VO). Uma das principais complicações clinicas da AF é a disfunção renal que apresenta altas taxas de morbidade e mortalidade. A falcização constante de hemácias e processos VO na medula renal podem levar à obstrução do fluxo sanguíneo nos vasos retos e isquemia renal. O Sistema Renina-Angiotensina (SRA) regula a formação de Angiotensina II (Ang II) em reposta a alterações hemodinâmicas promovendo vasoconstrição e equilíbrio de fluidos visando normalizar a pressão arterial (PA). Nossos resultados preliminares demonstram que camundongos jovens com AF apresentam PA reduzida, alterações na distribuição de receptores de Ang II do tipo 2 (ATR2), de enzima conversora de Angiotensina (ECA) e de renina, em comparação com os camundongos controles. A proposta deste estudo é investigar se há correlação entre a PA, a alterações no SRA e alterações renais em um modelo animal de AF e comparar estes parâmetros em camundongos jovens e camundongos com idade mais avançada. Adicionalmente, avaliaremos nestes parâmetros os efeitos dos tratamentos por 4 semanas com hidroxiureia (única droga aprovada pela FDA para o tratamento de AF) e de inibidores de enzima conversora de angiotensina (iECA - utilizados em pacientes AF que apresentam albuminuria e proteinuria, prevenção dos distúrbios nefrológicos e doença renal crônica). Com estes resultados esperamos obter dados que melhorem o nosso entendimento de como as alterações renais podem contribuir para as modificações hemodinâmicas na AF e possíveis meios para limitar estas alterações. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BRITO, Pamela Lara de. . 2019. Dissertação de Mestrado.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.