Busca avançada
Ano de início
Entree

Mapeamento da ativação neuronal e expressão de CRH/AVP em ratos privados de sono paradoxal: uma abordagem neurobiológica e comparativa

Processo: 17/06419-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 28 de agosto de 2017
Vigência (Término): 27 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Deborah Suchecki
Beneficiário:Danilo Alves de Moraes
Supervisor no Exterior: Gloria e Hoffman
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Morgan State University (MSU), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:14/22218-0 - Avaliação das respostas de estresse induzidas por privação de sono paradoxal em ratos Wistar: uma abordagem neurobiológica e comparativa, BP.DR
Assunto(s):Estresse psicológico

Resumo

Os estressores geram um conjunto de respostas composto por alterações neuronais, endócrinas, autonômicas e comportamentais, coordenadas pelo sistema nervoso central (SNC). Em roedores, estudos mostram que a privação de sono paradoxal (PSP) através do método da plataforma única (MPU) desencadeia essas respostas. No entanto, há uma crítica recorrente a esses resultados, questionando se essas alterações são decorrentes da supressão do sono paradoxal ou de outros estímulos estressores vinculados ao método. Outras metodologias de PSP promovem respostas de estresse semelhantes às descritas pelo MPU, variando na magnitude, levando-nos a propor que a perda do sono paradoxal seja responsável por estas alterações. O sistema nervoso simpático e o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal são os principais sistemas fisiológicos de resposta ao estresse, no entanto, outra forma de avaliarmos o estresse envolve a percepção do estímulo pelo cérebro, o qual é capaz de discriminar entre estímulo físico ou psicológico e promover a ativação de vias específicas. Dessa forma, o objetivo deste trabalho será mapear a ativação neuronal (imunorreatividade para erk) e avaliar a resposta de estresse do eixo HPA a nível hipotalâmico (imunorreatividade para o hormônio liberador de corticotrofina - CRH - e a arginina vasopressina - AVP) em animais privados de sono paradoxal pelo MPU, comparando com outros modelos de estresse: frio (estressor físico), odor de predador (estressor psicológico) e restrição de movimentos (estressor misto). Os estímulos serão aplicados durante um ou quatro dias, a fim de verificar as diferenças entre o tempo de exposição e a possível existência de habituação. (AU)