Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da Uncaria tomentosa sobre a sensibilidade periférica à insulina, microbiota e barreira intestinal em Camundongos C57BL/6 e ob/ob

Processo: 17/00247-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Carla Roberta de Oliveira Carvalho
Beneficiário:Marcelo Lima Polydoro
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/06911-3 - Efeito da Uncaria tomentosa sobre a sensibilidade periférica à insulina, microbiota e barreira intestinal em Camundongos C57BL/6, AP.R
Assunto(s):Endocrinologia   Obesidade

Resumo

A obesidade e sobrepeso são fatores de risco maiores para várias doenças crônicas como diabetes, doenças cardiovasculares, doença gordurosa hepática não alcoólica e alguns tipos de canceres. Com a instalação do sobrepeso e sua progressão há o estabelecimento de um estado inflamatório asséptico iniciando-se no tecido adiposo branco. Nessa condição há ativação de vias intracelulares que envolvem as cinases JNK e da IKK². Uma vez ativas, essas cinases tem como um de seus alvos o mais expresso dos substratos do receptor de insulina, o IRS-1. Assim, ao fosforilarem o IRS-1 em resíduos de serina há desencadeamento de resistência à ação da insulina. Outro fator mecanístico de gênese da obesidade e resistência à ação da insulina identificado mais recentemente é a disbiose intestinal. A prevalência da obesidade e suas comorbidades continua a crescer. Dados disponibilizados pela Organização Mundial da Saúde mostram que no período de 1980 a 2014 duplicou o numero de pessoas obesas no mundo. Em 2014 houve 1,9 bilhões de adultos (cerca de 39% das pessoas maiores que 18 anos) com sobrepeso (IMC > 24,9) ou obesas (IMC > 29,9), destas 13% (600 milhões) com obesidade. Além disso, a obesidade também tem crescido entre as crianças, em particular na população de crianças abaixo de 5 anos de idade havia, nesse mesmo ano, 41 milhões com sobrepeso. A despeito de muita investigação científica e publicações sobre os mecanismos celulares relacionados à génese e manutenção da obesidade e as comorbidades, os tratamentos farmacológicos aprovados para uso pelo FDA como orlistat, lorcaserin, fentermina-topiramato, rimonabant e sibutramina/meridia tem efeitos colaterais importantes que limitam seu uso. Dentre esses efeitos estão doença do refluxo esofagiano, hipertensão arterial, obstipação intestinal, enxaqueca, boca seca, doença cardíacas, depressão, náusea, falência hepática, insônia, efeitos cognitivos e psiquiátricos e até efeitos letais. A opção pela cirurgia bariátrica tem riscos inerentes à uma intervenção cirúrgica além do alto custo. Somando-se a isso, há já a 10 anos um programa do Ministério da Saúde denominado Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, aprovada por meio de Decreto numero 5.813 de 22 de junho de 2006 que envolve entre outros aspectos a ampliação das opções terapêuticas ofertadas aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), incluindo-se nesse item os fitoterápicos. Associado a isso a RENISUS (Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS), além de subsidiar o Programa orienta a elaboração da RENAFITO (Relação Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos). Em novembro de 2015 foi divulgada a ultima atualização da RENAFITO, apresentando 71 nomes de plantas medicinais de interesse para o SUS. Dentre elas estão a Uncaria tomentosa. Diante disso, esse trabalho tem o objetivo de analisar o efeito do fitoterápico com ação anti-inflamatória, Uncaria tomentosa, sobre a obesidade, a resistência à insulina e microbiota intestinal em camundongo C57BL/6 submetidos à dieta hiperlipídica e de camundongos ob/ob. Os resultados preliminares demonstram que a administração da Uncaria tomentosa (50 mg/kg de peso corpóreo do fitoterápico por 5 dias) melhora a sensibilidade à insulina em animais alimentados com dieta hipelipídica.