Busca avançada
Ano de início
Entree

Saúde emocional materna e desenvolvimento de bebês nascidos a termo e prematuros aos três e aos nove meses de idade

Processo: 17/07994-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Pesquisador responsável:Olga Maria Piazentin Rolim Rodrigues
Beneficiário:Carolina Mormanno
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Desenvolvimento infantil   Saúde materno-infantil   Indicadores de saúde   Recém-nascido prematuro

Resumo

O período da gestação e pós-parto é marcado por inúmeras mudanças na vida da mulher e há necessidade de adaptações diante dessas novas demandas. O nascimento prematuro do bebê exige ainda mais adaptações. Este estudo tem como objetivo investigar os indicadores de saúde emocional materno e as condições de nascimento, prematuro e a termo, no desenvolvimento infantil aos três e nove meses de idade. Farão parte da amostra 50 mães e seus bebês, sendo 25 bebês nascidos a termo e 25 bebês nascidos prematuros, que frequentam o projeto de extensão "Acompanhamento do Desenvolvimento de Bebês: avaliação e orientação aos pais" que ocorre no Centro de Psicologia Aplicada, da UNESP, e o Serviço de Estimulação Precoce, da SORRI-Bauru. Para avaliação da saúde emocional materna será utilizada a Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo (EPDS), o Índice de Stress Parental-Forma Curta (ISP-FC) e o Inventário de Ansiedade Traço-Estado (IDATE). Para avaliação do desenvolvimento infantil utilizar-se-á a Escala Bayley de Desenvolvimento Infantil (terceira edição) (EBDIIII). As mães e seus bebês prematuros irão compor o G1 e as mães e bebês a termo, o G2. Aos três e nove meses de idade do bebê a díade passará por avaliação, os bebês relacionado ao seu desenvolvimento e, as mães, em relação à sua saúde emocional. Após as avaliações serão feitas análises estatísticas descritivas, comparativas e correlacionais entre e intra grupos. As informações advindas desse estudo podem indicar se ou quais variáveis maternas da saúde emocional materna e do nascimento exercem influência no desenvolvimento infantil no primeiro ano de vida, possibilitando a realização de ações protetivas para modificar e reduzir o impacto negativo das mesmas sobre o desenvolvimento. (AU)