Busca avançada
Ano de início
Entree

Geração e caracterização de esferoides de tecido endotelial e seu potencial osteopromotor

Processo: 16/20505-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Willian Fernando Zambuzzi
Beneficiário:Geórgia da Silva Feltran
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/22689-3 - Sinalização parácrina mediada por microvesículas e proteínas entre células ósseas e endoteliais durante o desenvolvimento e regeneração do tecido ósseo, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):18/18785-8 - Fenótipo osteogênico induzido pelo endotélio: lições da análise ultra-estrutural de tecido equivalente, BE.EP.MS
Assunto(s):Osso e ossos   Reparo ósseo   Células endoteliais   Endotélio   Osteogênese   Transdução de sinais

Resumo

Com o aumento progressivo da expectativa de vida da população, defeitos ósseos se tornou um problema de saúde pública. Por sua vez, o sistema esquelético abriga um conjunto de células que, de maneira hierárquica, sustentam a formação óssea ao longo da vida, sendo sua capacidade regenerativa comprometida durante o processo de envelhecimento. A despeito de sua importância médica, social e econômica, poucos avanços têm sido alcançados quanto às metodologias de bioanálise capazes de ranquear novas terapias. Sabemos que o desenvolvimento e regeneração óssea é um evento complexo e orquestrado por mecanismos parácrinos de sinalização intercelulares mostrando que a osteogênese está acoplada à angiogênese. Desde 2015 e com apoio da FAPESP, temos buscado compreender os mecanismos de crosstalk entre células endoteliais e células osteoprogenitoras, a fim de estabelecermos um mapa das principais moléculas envolvidas e mecanismos de transdução de sinais disparados. Neste contexto, temos alguns alunos já trabalhando nesta temática, porém em modelos in vitro tradicionais. O objetivo deste projeto, com pleito a bolsa de mestrado, será estabelecer esferoides (tecidos equivalentes aos originais) de tecido endotelial através da associação de células endoteliais de vaso (HUVEC) e de artéria (HCAEC), com células de musculatura lisa (AoSMC), bem como explorar metodologias para caracterizá-lo. Os 3 tipos celulares já foram adquiridas a partir da LONZA e estão em cultivo em nossa unidade de cultivo celular do LaBIO (IBB-UNESP). Após estas etapas iniciais, praticadas com auxílio da literatura e já em curso pela candidata, faremos análise proteômica do secretoma destes esferoides, além de fazer uso deste meio condicionado para tratar células osteogênicas (h.FOB1.19), a fim de conhecermos seu impacto em vias de osteogênse; aqui faremos análises de fosfatase alcalina, mineralização in vitro, além de qPCR e western blotting para marcadores clássicos destes eventos. Ressalta-se que esta solicitação encontra-se com cobertura do projeto JP, processo 2014/22689-3, em vigência desde Dezembro de 2015, cujo objetivo geral é mapear o repertório de moléculas secretadas ora pelos osteoblastos, ora pelas células endoteliais, e regentes desses efeitos parácrinos durante a remodelação óssea. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FELTRAN, Geórgia da Silva. Geração e caracterização de tecido equivalente endotelial e seu potencial osteopromotor. 2019. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Botucatu)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.