Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação molecular de altos níveis de resistência aos aminoglicosídeos entre bacilos gram-negativos isolados de LCR e sangue de pacientes hospitalizados no Brasil

Processo: 17/11707-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 04 de setembro de 2017
Vigência (Término): 03 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Ana Lúcia da Costa Darini
Beneficiário:Anelise Stella Ballaben
Supervisor no Exterior: Yohei Doi
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Pittsburgh (Pitt), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/23484-9 - Estudo molecular de bactérias gram-negativas produtoras de beta-lactamases isoladas de pacientes com suspeita de meningite na região de Ribeirão Preto, BP.DD
Assunto(s):Aminoglicosídeos   Farmacorresistência bacteriana   Sangue

Resumo

Os aminoglicósidos têm sido utilizados para o tratamento de agentes patogénicos Gram-negativos MDR (multi-resistentes). A resistência a aminoglicosídeos de alto nível mediada pela produção de 16S-RMTases tem sido descrita em Enterobacteriaceae e bacilos Gram-negativos não fermentadores com maior freqüência nos últimos anos, reforçando o importante papel que essas enzimas desempenham no cenário de resistência antimicrobiana. O objetivo deste projeto é investigar os mecanismos moleculares de resistência a aminoglicosídeos de alto nível entre enterobactérias e bacilos Gram-negativos não fermentadores isolados de líquido cefalorraquidiano e sangue de pacientes com meningite em diferentes hospitais do Estado de São Paulo, no período de 2007 a 2014 (Pseudomonas aeruginosa, 3 Acinetobacter baumannii e 2 Klebsiella pneumoniae foram selecionadas para este estudo). De acordo com as experiências padrão, 19 isolados de alto nível resistentes a aminoglicosídeos, incluindo 14 Pseudomonas aeruginosa, 3 Acinetobacter baumannii e 2 Klebsiella pneumoniae foram selecionados para este estudo. Para esta proposta, avaliaremos a presença de genes de resistência a aminoglicosídeos em enterobactérias e bacilos Gram-negativos não fermentadores, investigando a presença, número e tamanho de plasmídeos portadores de genes de resistência a aminoglicosídeos e seqüenciando todo o genoma de Enterobacteriaceae e não fermentante Gram- Bacilos negativos produzindo novos genes de resistência aos aminoglicosídeos. Com esta investigação de 6 meses, vamos elucidar resistência de aminoglicosídeos de alto nível entre bacilos Gram-negativos no Brasil.