Busca avançada
Ano de início
Entree

Lisado plaquetário humano: do descarte a produtos de alto valor agregado direcionados a terapia celular e a Medicina Moderna

Processo: 17/10761-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Sheila Siqueira Andrade
Beneficiário:Sheila Siqueira Andrade
Empresa:Plateinnove Biotechnology Pesquisas Ltda
Vinculado ao auxílio:16/14459-3 - Lisado plaquetário humano: do descarte a produtos de alto valor agregado direcionados à terapia celular e à medicina moderna, AP.PIPE
Assunto(s):Plaquetas sanguíneas   Plasma rico em plaquetas   Trombina   Medicina regenerativa   Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Testes de função plaquetária   Biotecnologia

Resumo

Em um cenário no qual a biotecnologia celular emerge na direção da medicina regenerativa o desenvolvimento de produtos de suplementação celular que sejam tanto desprovidos de proteínas xenogênicas quanto eficazes na promoção do crescimento celular é de grande valia. Embora ainda pouco tangibilizadas, diversas iniciativas ao redor do mundo visam capturar este mercado de alto valor agregado onde o litro de Lisado Plaquetário Humano (LPH) passa dos 4 mil dólares (Merck Millipore Corporation, 2016). Cientes deste desafio, descrevemos, academicamente, o potencial uso do Plasma Rico em Plaquetas (PRP) e LPH como promissores substitutos do clássico Soro Fetal Bovino (SFB) no cultivo de células mamárias [1,2]. Sustentados e encorajados pelos resultados obtidos, nossos esforços agora estão voltados para a investigação biomimética tendo como foco principal o desenvolvimento de tecnologias de produção e dos respectivos produtos de suplementação celular derivados de plaquetas em seus mais diversos aspectos. De forma sucinta, utilizaremos nosso know-how através das técnicas de: i) plaquetas lavadas e ativadas por agonistas específicos, para obter o Secretoma Plaquetário Humano (SPH); ii) congelamento e descongelamento dos concentrados de plaquetas, para obter o LPH mais apropriado. É crucial destacar que utilizaremos como matéria prima somente plaquetas que atualmente acabam descartadas por excederem o tempo limite de armazenamento descritos em condutas hemoterápicas, mas que ainda retém total funcionalidade suplementar. Além de aproveitar esse nobre resíduo - que passou por diversos testes de qualidade e apresentou negatividade para os tradicionais patógenos rastreados em banco de sangue - evitamos uma competição desleal com pacientes para o uso de concentrados de plaqueta "frescos". Desta forma, nossa empresa Plate(let)Form Biotechnology será encubada no banco de sangue Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue do Estado de São Paulo), e surge como uma emergente startup, spin-off, com o principal objetivo de desenvolver processos para transformar plaquetas expiradas em um produto valioso de uma maneira simples, econômica e ambientalmente amigável/sustentável. Sabemos da ampla variedade de aplicações do nosso futuro produto e ainda, que existe um interesse crescente no uso de novos suplementos celulares. Temos a experiência e habilidade para entender as necessidades dos nossos futuros clientes e, por isso, acreditamos que o mercado está pronto para lisados de plaqueta e seus correlatos. Caso esta fase de princípio seja bem-sucedida, pretendemos desenvolver de maneira consciente um plano de negócios que sustente nossa inserção no mercado brasileiro de biotecnologia. (AU)