Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de eIF5A no contexto da sensibilidade à insulina

Processo: 17/11534-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 31 de outubro de 2017
Vigência (Término): 24 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Augusto Ducati Luchessi
Beneficiário:Karina Danielle Pereira
Supervisor no Exterior: Andre Marette
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Laval, Canadá  
Vinculado à bolsa:13/23620-4 - Caracterização funcional da isoforma a do fator de tradução eIF5A, BP.DR
Assunto(s):Biologia molecular   Resistência à insulina   Fator de iniciação 5A em eucariotos

Resumo

O fator de iniciação da tradução eucariótica 5A (eIF5A) é altamente conservado em arqueas e eucariotas, sendo a única proteína contendo o resíduo de aminoácido hipusina, o qual é necessário para a sua atividade. eIF5A tem sido envolvido em diferentes pontos do controle da expressão gênica, tais como transcrição, transporte pelo poro nuclear, decaimento mediado por nonsense (NMD) e tradução. Além disso, eIF5A também tem sido associado a importantes processos celulares e fisiológicos, como proliferação celular, diferenciação, apoptose, embriogênese e desenvolvimento. No contexto da fisiologia muscular, pode-se destacar o envolvimento de eIF5A na proliferação e diferenciação de células estaminais do músculo esquelético (células satélites). Estes processos são essenciais para o desenvolvimento e regeneração muscular,em que a insulina é um hormônio chave. No entanto, eIF5A também é considerado um fator crítico para algumas condições patológicas, como câncer, inflamação, diabetes e replicação viral. Assim, eIF5A pode ser considerado um alvo terapêutico desafiador, porque é esperado que qualquer interferência na expressão de eIF5A ou sua hipusinação, de forma não guiada (sem especificidade celular ou tecidual), tenha potencial para efeitos adversos. Devido às características benéficas e malignas de eIF5A, o estudo do controle de sua expressão e atividade é importante para o estabelecimento de estratégias terapêuticas seguras e efetivas baseadas no metabolismo de eIF5A. Dados não publicados (anexos 1) do nosso grupo revelaram que a insulina tem efeitos moduladores positivos na expressão de eIF5A em células de mioblastos L6 de rato. Entretanto, os eventos moleculares associados a este processo ainda precisam ser esclarecidos. Neste contexto, a presente proposta apresenta dois objetivos: (I) contribuir para a caracterização de uma fração peptídica derivada do salmão capaz de aumentar a sensibilidade à insulina, achado obtido pelo grupo do Dr. Marette e (II) verificar se os peptídeos derivados do salmão têm um efeito positivo na expressão de eIF5A, induzida por insulina . Se este for o caso, os peptídeos de salmão poderão ser explorados como uma estratégia futura para suprimir os efeitos adversos associados à inibição de eIF5A em tecidos alvo indesejados.