Busca avançada
Ano de início
Entree

O impacto da superexpressão da paracoccina na biologia e virulência de conídios de Paracoccidioides spp.

Processo: 17/06251-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Beneficiário:Nayla de Souza Pitangui
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/04088-0 - Lectinas de patógenos, AP.TEM
Assunto(s):Micologia

Resumo

Fungos dimórficos do "complexo" Paracoccidioides causam a paracoccidioidomicose (PCM), doença primariamente pulmonar, potencialmente disseminável, com alta prevalência e morbidade na América Latina. A infecção inicia-se quando o homem inala conídios (forma fúngica infectante) e o desenvolvimento da doença depende essencialmente da conversão, nos alvéolos pulmonares, de conídios em leveduras (formas patogênicas do fungo) e da resposta imune do hospedeiro. Alguns componentes fúngicos são dotados de propriedades imunomoduladoras, dentre os quais a proteína bifuncional paracoccina (PCN), dotada de atividade lectínica (ligante de monômeros ou polímeros de N-acetilglicosamina) e de atividade enzimática (quitinase). A propriedade imunomoduladora de PCN foi demonstrada in vitro pelo estímulo a macrófagos de polarização M1 e de indução na produção de mediadores pró-inflamatórios (como IL-12). In vivo, demonstrou-se que a administração de PCN a camundongos infectados com P. brasiliensis confere proteção, associada à imunidade Th1. Quanto ao papel da PCN na biologia do fungo, sabe-se que sua expressão é 5 vezes superior em hifas do que em leveduras e é detectada em regiões de crescimento em ambas as formas fúngicas. A idéia de que PCN atue na biologia do fungo foi reforçada pelo prejuízo de crescimento de leveduras cultivadas na presença de anticorpos anti-PCN e por alterações de transição de fungos silenciados ou superexpressores de PCN. O objetivo desta proposta é avaliar o efeito da superexpressão de PCN por conídios de P. brasiliensis e P. lutzii, examinando sua transição para leveduras e as repercussões na infecção de camundongos com tais conídios. Alternativamente, o modelo de infeção de Galleria mellonella será utilizado. O estudo deverá contribuir para elucidar fatores determinantes da sobrevivência, do crescimento e da capacidade de transição do fungo, bem como da patogenia da micose por ele causada. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.