Busca avançada
Ano de início
Entree

Potencial alelopático de exsudados radiculares do tremoceiro

Processo: 17/09164-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Pedro Luis da Costa Aguiar Alves
Beneficiário:Wendy Linares Colombo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Plantas daninhas   Tremoço   Alelopatia   Exsudatos de plantas

Resumo

Dentre as culturas com potencial de uso como cobertura tem-se a do tremoço, que é uma oleaginosa pertencente ao gênero Lupinus, que também é muito utilizada na alimentação de ruminantes e humanos pelo seu alto teor de proteínas, além do teor de óleo e das propriedades nutracêuticas. Dada a essas características, sua produção e demanda têm sido crescentes. Nas safras de inverno de 2014 e 2016 foram desenvolvidos dois projetos no Laboratório de Plantas Daninhas (LAPDA) da FCAV-UNESP, câmpus de Jaboticabal, sendo que o primeiro correspondeu aos Períodos de interferência das plantas daninhas na cultura do tremoço (Processo Fapesp nº 2014/25579-4) e o segundo ao Efeito da adubação nitrogenada sobre os períodos de interferência das plantas daninhas na cultura do tremoço. Com a condução dos ensaios foi possível observar visualmente que após a germinação da cultura do tremoço, as plantas daninhas apresentaram estagnação no desenvolvimento e não havia interferência de dessas na cultura, fenômeno esse que pode ser atribuído a exsudatos radiculares do tremoço com propriedades alelopáticas. Dessa forma, objetiva-se avaliar o potencial alelopático de exsudados radiculares do tremoço (Lupinus albus) no controle de caruru (Amaranthus deflexus), leiteiro (Euphorbia heterophylla.), capim-braquiária (Brachiaria brizantha) e capim-colonião (Panicum maximum). Os exsudados serão coletados durante 60 dias através do método hidropônico e de garrafas em posição invertida, e serão aplicados em diferentes concentrações nessas plantas-alvo e teste (experimentos de cito e fitotoxicidade), para verificação do potencial alelopático. Também será utilizado o do método de plantas em convivência durante 60 dias, em caixas com e sem interferência radicular. Para os três experimentos o delineamento experimental será o inteiramente casualizado, com cinco repetições por tratamento. Serão avaliadas características germinativas, comprimentos e biomassas secas da parte aérea e radicular, área foliar, teor relativo de clorofila total e eficiência quântica do fotossistema II. Os resultados obtidos serão submetidos à análise de variância pelo teste F e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)