Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do Metrotexato associado a nanopartícula de PLAG (ácido lático-co-glicólico) na artrite reumatoide

Processo: 17/11630-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Paulo Louzada Junior
Beneficiário:Gustavo Martelli Palomino
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08216-2 - CPDI - Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias, AP.CEPID
Assunto(s):Nanopartículas   Reumatologia   Artrite reumatoide

Resumo

A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença auto-imune inflamatória sistêmica que tem como característica principal o acometimento articular, com grave impacto na redução da qualidade de vida e por isso, nas últimas décadas tem sido alvo de alternativas de tratamento. A estratégia terapêutica inicial recomendada consiste no uso de baixas doses de metotrexato (MTX), um antagonista do folato, com efeitos antiproliferativos e imunossupressor. No entanto, sua utilização é limitada pela baixa biodisponibilidade, reações adversas e uma parte considerável dos pacientes é refratária ao tratamento, sendo o mecanismo pelo qual este fenômeno ocorre ainda não estabelecido. As nanopartículas de polímeros biodegradáveis têm atraído um intenso interesse nos últimos anos, pois esses sistemas podem prover vetorização de forma sustentada, controlada e atuar como carreadores de fármacos aumentando a eficácia terapêutica e diminuindo os efeitos adversos. As nanopartículas associadas ao MTX (NPC-MTX) baseada no poliéster alifático PLGA (poli ácido lático co-glicólico) o qual é biocompatível, biodegradável e aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration - USA) foi modificada pela adição do grupo policátion polietilenimina (PEI) aumentando assim o uptake celular via endocitose. Diante do potencial do nanocarreador para direcionar e modular e potencializar a ação do MTX, o presente trabalho tem por objetivos principais: 1) avaliar, in vitro, o efeito da NPC-MTX na atividade antiproliferativa e antiinflamatória de células do sangue periférico de pacientes com AR respondedores ou não ao MTX. 2) avaliar, in vivo, a eficácia da NPC-MTX como terapia antiinflamatória e imunomoduladora em modelo experimental de artrite.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.