Busca avançada
Ano de início
Entree

Rafe bulbar e controle da expiração ativa durante hipercapnia: papel da modulação serotoninérgica

Processo: 17/10868-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Glauber dos Santos Ferreira da Silva
Beneficiário:Isabela de Paula Leirão
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/17606-9 - Serotonina e controle respiratório em vertebrados, AP.JP
Assunto(s):Eletroencefalografia   Expiração   Hipercapnia   Serotonina   Neurônios serotoninérgicos   Rafe   Ratos Wistar   Modelos animais

Resumo

No sistema nervoso, a 5-HT está envolvida em diversas funções, incluindo ritmos circadianos, alimentação, estado emocional, controle do sono e controle respiratório. De interesse para o presente projeto é a participação da 5-HT no controle respiratório. Em mamíferos, a respiração é um processo rítmico, iniciado no sistema nervoso central (SNC). Em repouso, a expiração é um processo passivo, no entanto, a musculatura expiratória é recrutada (como ex: abdominal) em condições de alta demanda respiratória, como durante condições de hipercapnia. O estudo da expiração ativa é fundamental, pois constitui um mecanismo importante ativado em condições essenciais para gerar a expiração forçada. Além disso, pode estar envolvido em algumas condições patológicas. Estudos sugerem que a região do núcleo retrotrapezóide (RTN)/região parafacial (pFRG) é a geradora desta atividade. Apesar dos avanços, há poucos estudos sobre o controle motor e respiratório relacionado à atividade dos músculos abdominais (expiração), e pouco é conhecido sobre regiões encefálicas que possam modular essa atividade. Os neurônios serotoninérgicos da rafe bulbar podem estar envolvidos nesta modulação, uma vez que esse local tem participação na quimiorrecepção central ao CO2/pH, e a hipercapnia é uma condição na qual a expiração ativa está presente. A hipótese é que a rafe bulbar (e neurônios 5-HT) é ativada durante a hipercapnia, e através de projeções excitatórias para o RTN/pFRG, influencia e modula a expiração ativa. O objetivo do presente projeto é estudar a participação de neurônios 5-HT da rafe na modulação da expiração ativa em condições de hipercapnia. Este tipo de modulação serotoninérgica na expiração ativa durante hipercapnia nunca foi demonstrado, em especial em animais não anestesiados e durante sono e vigília. Serão utilizados métodos variados como a microdiálise reversa associados aos registros de EMG e EEG em ratos Wistar. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.