Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do treinamento de alcance na fase aguda pós-isquemia cerebral sobre a recuperação da função da pata dianteira em ratos

Processo: 17/05499-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Thiago Luiz de Russo
Beneficiário:Rafaella Mendes Zambetta
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Acidente vascular cerebral   Reabilitação (terapêutica médica)   Movimento (fisiologia)   Modelos animais

Resumo

O AVC (Acidente vascular cerebral) é classificado como a segunda causa de morte e a principal causa de incapacidade adquirida por adultos afetando prioritariamente os movimentos de alcance, o que impacta negativamente a qualidade de vida e a produtividade do indivíduo. A terapia de contensão induzida tem sido recomendada como uma das mais eficientes formas de tratamento pós-AVC, independente da fase pós-lesão. Porém, diversos estudos apontam que a recuperação neural espontânea é mais intensa nos primeiros 30 dias após o AVC. Objetivo: investigar o modo como a intensidade e a periodização do treinamento tarefa-específica com a pata dianteira contralateral à lesão na fase aguda podem auxiliar ou atrapalhar o processo de recuperação funcional tardio. Materiais e métodos: 65 animais serão divididos igualmente em 5 grupos: grupo isquemia cerebral (IC), grupo isquemia cerebral e treinamento de 20 tentativas (IC+T1x20), isquemia cerebral e treinamento de 60 tentativas (IC+T1x60), isquemia cerebral e treinamento de 3 séries de 20 tentativas (IC+T3x20) e grupo controle (C). A lesão na área sensoriomotora referente à pata dianteira dominante será induzida através da aplicação de endotelina-1. Para aprender a tarefa de alcance todos os animais serão treinados com a pata dianteira contralateral à lesão antes da cirurgia. Os grupos serão submetidos a cirurgia e ao treino, de alcance pós cirúrgico com exceção do grupo controle. Testes para avaliar a assimetria e a função da pata dianteira, serão realizados antes da lesão, 4, 7 e 14 dias pós-lesão. Análises histológicas serão realizadas para confirmar a lesão isquêmica. Estatística: Para avaliar a normalidade e homogeneidade dos dados, os testes de Shapiro-Wilk e Levene serão aplicados. Para os testes funcional e comportamental, será utilizado Anova two-way de medidas repetidas (grupos x tempo de avaliação) para comparação antes e após lesão e treinamento. Será utilizado o teste de Pearson para correlações e será considerado um nível de significância de 5%. (AU)