Busca avançada
Ano de início
Entree

Co-inoculação de Bradyrhizobium e Azospirillum em soja após pastagem no cerrado

Processo: 17/09668-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Marcelo Andreotti
Beneficiário:Tamiris Yoshie Kiyama de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Bradyrhizobium   Azospirillum   Inoculação   Sistemas de produção   Nodulação   Glycine max   Nitrogênio   Agrossilvicultura

Resumo

O sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) se destaca como uma alternativa viável de produção para recuperação de áreas degradadas, integrando os componentes lavoura e pecuária, em rotação, consórcio ou sucessão, na mesma área. Uma das vantagens do sistema se dá ao incremento de produtividade de maneira sustentável, tanto no Sistema de Plantio Direto (SPD) como no convencional. Cabe destacar também os efeitos benéficos sobre as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo, onde a sua qualidade física pode ser melhorada com a utilização de pastagens para animais em áreas de lavoura, ou como planta formadora de palhada para cultura subsequente. Pastagens do gênero Urochloa (Syn. Brachiaria), principalmente de U. brizantha cv. Marandu produzem forragem em condições de baixa disponibilidade hídrica e por um período mais longo, deixando maior quantidade de palha para continuidade do plantio direto, no entanto, devido a sua alta relação C/N pode acarretar uma imobilização temporária do N para as plantas em sucessão. Desse modo bactérias diazotróficas como Azospirillum têm sido empregados para co-inoculação de soja, juntamente com bactérias simbióticas Bradyrhizobium, como alternativa para auxiliar na disponibilização de maior quantidade de nutrientes às plantas, devido ao efeito de maior crescimento radicular. Logo, o trabalho de pesquisa objetivará em um LATOSSOLO VERMELHO distrófico, sob condições de sequeiro, no Cerrado, avaliar o crescimento e o desempenho produtivo da soja em sucessão ao capim-marandu submetido à três manejos: adubado com 50 kg ha-1 de N a cada corte antecessor, simulando o pastejo (num total de 5 cortes com 250 kg ha-1 de N), com pulverização foliar a cada corte com Azospirillum brasilense e numa condição sem adubação nitrogenada ou pulverização com a bactéria diazotrófica após cada corte, e em duas condições de semeadura da soja: inoculada apenas com Bradyrhizobium ou co-inoculada com Azospirillum brasilense. (AU)