Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução do campo de esforços na litosfera: uma abordagem numérica

Processo: 17/10554-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Victor Sacek
Beneficiário:Rafael Monteiro da Silva
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/24215-6 - As bacias do Pantanal, Chaco e Paraná (PCPB): evolução e estrutura sísmica da crosta e manto superior, AP.TEM
Assunto(s):Tectonofísica   Modelos matemáticos   Litosfera

Resumo

O campo de tensões na litosfera é o agente controlador da dinâmica litosférica, cuja ação resulta em deformações da crosta tanto abruptas, como os terremotos, ou de maior escala temporal, como os riftes continentais. Ademais, o conhecimento da reologia da litosfera e seu comportamento dinâmico é estritamente relacionado ao campo de tensões devido à relação entre tensão e deformação. Apesar da modelagem numérica ser amplamente utilizada para investigar o rifteamento e quebra da litosfera continental, assim como os processos geodinâmicos associados, menor atenção foi dirigida à porção emersa da margem e sua evolução pós-rifte. O objetivo desse projeto é desenvolver um modelo numérico visco-elasto-plástico para explorar o campo de tensões na litosfera e sua evolução temporal. A implementação terá como base um modelo existente, bidimensional, de reologia viscoelástica. Esse modelo será expandido para incluir a geometria tridimensional, utilizando elementos hexaédricos, e a deformação plástica para simular a deformação rúptil das rochas. Também será feito um acoplamento com um modelo de processos superficiais que simula a erosão e deposição de sedimentos. O modelo desenvolvido será aplicado no contexto evolutivo de duas porções da placa da América do Sul: (1) margem sudeste do Brasil, com foco especial no Rifte Continental do Sudeste do Brasil; (2) bacias sedimentares do Pantanal, Chaco e Paraná. O objetivo deste projeto é entender os mecanismos envolvidos na evolução dessas regiões durante e após a abertura do atlântico sul. Nesse contexto, o projeto explorará o papel da geometria tridimensional da margem e das estruturas preexistentes no interior do continente, da reologia da litosfera e das forças intraplaca, originadas nas bordas das placas, no campo de tensões da litosfera e suas implicações na formação e evolução de bacias interiores. (AU)