Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da fragmentação de sono sobre o paradigma Th1/Th2 em um modelo murino de ativação imunológica por leishmaniose

Processo: 17/13999-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 14 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Monica Levy Andersen
Beneficiário:Rachel Gimenes Rodrigues Albuquerque
Supervisor no Exterior: Cord Sunderkoetter
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Munster, Alemanha  
Vinculado à bolsa:14/27329-5 - Análise do padrão de sono e da secreção de citocinas em pacientes com hanseníase, BP.DD
Assunto(s):Psicobiologia   Equilíbrio Th1-Th2   Resposta imune   Leishmaniose   Sono   Medicina do sono

Resumo

Os primeiros estudos que demonstraram a importância do balanço entre as respostas T helper 1 (Th1) e T helper 2 (Th2) foram conduzidos em um modelo murino experimental de leishmaniose. Após a inoculação de um grande número de parasitas Leishmania major, algumas linhagens de camundongos demonstraram ser resistentes, como a linhagem C57BL/6, enquanto outras eram susceptíveis, como a linhagem BALB/c. A maior parte dos trabalhos sugere que há uma base genética diferente entre as linhagens levando à produção de interleucina-12 e interferon- ³, caracterizando a resposta Th1 nos camundongos resistentes, ou à produção de interleucina-4, direcionando para o polo Th2, conferindo susceptibilidade à infecção. Ainda, somando-se aos aspectos genéticos, outros fatores como dieta e senescência também foram descritos como importantes para a progressão da doença. Um fator bem conhecido por possuir uma relação bidirecional com o sistema imune é o sono. Embora o papel do sono no modelo murino de leishmaniose seja desconhecido, uma vasta gama de estudos descreve a importância das citocinas pró e anti-inflamatórias na regulação do ciclo vigília-sono, alterações no padrão de sono em situações de infecção e o impacto negativo do sono em células do sistema imune. Considerando que um sono bem consolidado é fundamental para garantir o bom funcionamento e a homeostase imunológica, este estudo busca avaliar os efeitos da fragmentação de sono no paradigma Th1/Th2 utilizando um modelo murino de leishmaniose. Espera-se esclarecer quais parâmetros são afetados pela fragmentação de sono após um desafio imunológico, como por exemplo infecções ou processos de imunização ativos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)