Busca avançada
Ano de início
Entree

Reforma Agrária no Chile: dilemas socialistas, lutas camponesas e espoliação militar (1967-1978)

Processo: 17/06753-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 25 de setembro de 2017
Vigência (Término): 24 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História da América
Pesquisador responsável:Jorge Luís da Silva Grespan
Beneficiário:Joana Salem Vasconcelos
Supervisor no Exterior: Heidi Tinsman
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Irvine (UC Irvine), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/13432-4 - Reforma Agrária no Chile: dilemas socialistas, lutas camponesas e espoliação militar (1967-1978), BP.DR
Assunto(s):Reforma agrária   Campesinato   Chile   Socialismo

Resumo

Com este projeto pretendemos possibilitar uma ampliação da consistência teórico-metodológica da pesquisa de doutorado financiada pela FAPESP, sobre a história dos embates políticos e as expectativas populares em torno da reforma agrária no Chile (1967-1973), bem como a política de contrarreforma comandada por Pinochet (1973-1978). Tal pesquisa é guiada por três objetivos: (1) reconstituir o debate estratégico da Unidade Popular sobre a reforma agrária nos marcos da "via chilena" para o socialismo; (2) compreender as interações entre expectativas da vanguarda política sobre as formas econômicas da nova agricultura e as experiências das comunidades camponesas e povos mapuche na sua sociabilidade concreta; (3) analisar as linhas de força da política de contrarreforma agrária de Pinochet. Neste estágio doutoral na Universidade da Califórnia Irvine, buscaremos destrinchar a relação entre marxistas, camponeses e mapuches na luta contra o latifúndio, ampliando o repertório de métodos de história oral e incorporando em nosso olhar o enfoque de gênero por meio da supervisão da professora Heidi Tinsman. Nesse campo, buscaremos fortalecer a reflexão sobre "memórias agrárias", para aprimorar as formas de escuta da historiadora na próxima etapa de campo, especialmente em relação às situações de trauma das vítimas da ação espoliadora do governo militar sobre os territórios conquistados durante a reforma agrária.