Busca avançada
Ano de início
Entree

Nova abordagem científica contra a resistência antimicrobiana utilizando nanotubos acoplados a terpeno

Processo: 17/01206-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Rodney Alexandre Ferreira Rodrigues
Beneficiário:Rodney Alexandre Ferreira Rodrigues
Anfitrião: Garry Laverty
Instituição-sede: Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Paulínia , SP, Brasil
Local de pesquisa : Queen's University Belfast, Irlanda do Norte  
Assunto(s):Nanotubos   Terpenos   Anti-infecciosos   Peptídeos   Óleos essenciais

Resumo

A eficácia dos antibióticos tem caído desde que eles foram introduzidos na medicina moderna, pelo menos, 70 anos atrás. A taxa crescente e alarmante de resistência antimicrobiana, particularmente relacionada às infecções G (-), tem desafiado os pesquisadores na descoberta de novos compostos antibacterianos. Algumas publicações descrevem a utilização de uma classe particular de agentes antimicrobianos com base nos nanotubos de peptídeos auto-formadores (PNT) compostos pelo empilhamento de peptídeos cíclicos. PNT cíclicos são uma grande promessa como carreadores para entrega de drogas, mas nunca foram explorados para esta finalidade. A intenção deste projeto é aplicar peptídeos comerciais feitos por D, L-peptídeos cíclicos curtos unidos com terpenos de óleos essenciais. Pretende-se com os peptídeos e os terpenos uma atuação de forma sinérgica como sistemas de administração de fármacos que são um alvo seletivos para a membrana externa de bactérias G (-) e prolongam o espectro de atividade dos antibióticos G (+) que não são ativos contra G (-). A escolha do óleo essencial será feita de acordo com publicações anteriores dos colaboradores do CPQBA/UNICAMP (Duarte et al., 2007, Duarte et al., 2005, Sartoratto et al., 2004). Estes peptídeos irão alvejar e neutralizar os lipopolissacáridos associados à membrana externa (LPS) devido à sua semelhança com a polimixina. Os PNTs exibirão maior seletividade em relação aos patógenos G (-) tais como Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli e Klebsiella pneumoniae em comparação com os isolados G (+). Os PNTs serão testados por ensaio de biostabilidade in vitro. Este projeto propõe uma nova abordagem para formar um bioconjugado baseado na adsorção/inclusão de terpenos em nanotubos de peptídeos visando aumentar a atividade antimicrobiana desses nanotubos nos LPS das membranas externas bacterianas G (-). A metodologia proposta é semelhante à aplicada aos fármacos com base na inclusão de moléculas em ciclodextrinas, mas sem nenhuma semelhança com a microencapsulação para produzir micropartículas/cápsulas. Vale lembrar que não há relatos na literatura sobre a absorção de terpenos em nanotubos produzidos com peptídeos, portanto é um trabalho inédito. (AU)