Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da exposição gestacional ao TCDD sobre o desenvolvimento do diabetes tipo I na prole

Processo: 17/02451-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Camila Peres Buzalaf
Beneficiário:Bruno Henrique Serotini
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade do Sagrado Coração (USC). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Dioxinas   Toxicologia ambiental   Imunomodulação

Resumo

As dioxinas representam uma importante classe de contaminantes ambientais. Um representante desta classe, o 2,3,7,8-tetraclorodibenzo-para-dioxina (TCDD) é produzido de maneira antropogênica em processos industriais, incêndios, e processos de combustão como a incineração de resíduos de serviços de saúde, de lixo urbano, de resíduos industriais, e de veículos automotores. As principais fontes de exposição humana ao TCDD ocorrem pela cadeia alimentar, por meio da ingestão de alimentos e água contaminados, e a exposição ocupacional. Vários trabalhos têm sugerido que a sua exposição durante a vida adulta tem efeito no aumento da incidência de diversas disfunções metabólicas, reprodutivas, oncogênicas, além de promover a imunomodulação e o aumento a predisposição ao desenvolvimento das doenças autoimunes como o diabetes tipo I. No entanto, ainda é desconhecido se a exposição do TCDD durante o período pré-natal altera as células imunes bem os mediadores produzidos, no contexto de uma doença autoimune na vida adulta. Assim, o presente projeto tem por objetivo avaliar o efeito da exposição de camundongos fêmeas prenhas ao TCDD na resposta autoimune ao diabetes tipo I da prole. Para tanto, em camundongos fêmeas C57BL/6 tratados com estreptozotocina e camundongos NOD (Non Obese Diabetic) expostos ao TCDD durante a gestação, iremos avaliar na prole a glicemia e insulinemia, a morfologia e a expressão de insulina no tecido pancreático, a morte celular in situ e a determinação da insulite, o perfil de linfócitos Th1, Th17 e Treg nos linfonodos pancreáticos e pâncreas, por citometria de fluxo, e a quantificação das citocinas IFN-³, TNF-±, IL-17 e IL-10 na cultura de macrófagos obtidas a partir de células totais da medula óssea e no homogeneizado do pâncreas. Espera-se compreender as bases das alterações imunológicas causadas durante a exposição pré-natal ao TCDD, que persistem na vida adulta em dois modelos de diabetes autoimune. (AU)