Busca avançada
Ano de início
Entree

Parâmetros morfológicos, morfométricos e esteroidogênicos da diferenciação sexual da genitália externa de Galea spixii

Processo: 16/24040-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Antônio Chaves de Assis Neto
Beneficiário:Amilton Cesar dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Embriologia   Receptores estrogênicos   Clitóris   Pênis

Resumo

O Galea spixii (preá) é um pequeno roedor que vive na vegetação da Caatinga do Nordeste brasileiro. Esta espécie tem sido criada em cativeiro devido a sua importância como fonte alternativa de alimento em algumas regiões do Brasil. Estudos publicados com a espécie demonstraram que a anatomia da genitália externa desafia o conhecimento relacionado aos processos de diferenciação sexual, pois as fêmeas adultas apresentam um clitóris peniforme transpassado pela uretra, com presença de glândulas uretrais, semelhante ao pênis dos machos. Também ficou demonstrado que o processo de masculinização se inicia no ambiente intrauterino. Neste sentido, diversos grupos de pesquisa ao redor do mundo têm utilizado modelos experimentais para aprofundar pesquisas sobre a diferenciação sexual e suas diversas variações e anomalias. Assim, acreditamos que o estudo do desenvolvimento dos órgãos genitais no preá pode auxiliar na compreensão dos diversos mecanismos de diferenciação sexual em mamíferos, alvos de extensas discussões. Portanto, o presente estudo visa estabelecer os padrões de desenvolvimento morfológico e morfométrico durante a diferenciação sexual da genitália externa e a imunolocalização e variações quantitativas de receptores de andrógenos e estrógenos e da enzima androgênica 5-alfa-redutase nos tubérculos genitais indiferenciados e nos clitóris e pênis ao longo do desenvolvimento intrauterino. Serão estabelecidos, o padrão de desenvolvimento morfológico e morfométrico e os ajustes celulares e teciduais durante a formação do tubérculo genital e a canalização da uretra no clitóris e no pênis após a diferenciação sexual, utilizando microscopia eletrônica de transmissão e de luz, respectivamente. Também serão demonstrados, os mecanismos moleculares da diferenciação sexual da genitália externa por intermédio de análises da imunolocalização (através de imunohistoquímica) e da quantidade proteica (através de Western Blotting) de receptores de andrógenos e estrógenos (alfa e beta) e da enzima androgênica 5-alfa-redutase. Serão analisados os tubérculos genitais indiferenciados sexualmente, os pênis e os clitóris de conceptos provenientes de 30 fêmeas gestantes. Até o momento, foram coletados conceptos aos 20, 30, 40 e a termo (final da gestação).

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SANTOS, AMILTON C.; LISBOA-NETO, ANTONIO F. S.; SILVA, INGRID K. L.; PEREIRA, HELTON C. S.; SILVEIRA, JULIA M.; SILVEIRA, ERICK E.; VASCONCELOS, BRUNO G.; ASSIS-NETO, ANTONIO C. Development of the urinary system in guinea pig females (Cavia porcellus). Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 39, n. 7, p. 549-560, JUL 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.