Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência de polimorfismos em genes da via JAK/STAT na suscetibilidade e aspectos clinicopatológicos de pacientes com melanoma cutâneo

Processo: 16/25407-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Carmen Silvia Passos Lima
Beneficiário:Gabriela Vilas Bôas Gomez
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/16776-4 - Consequências funcionais da variante genética STAT3 c.-1937C>G no melanoma cutâneo, BE.EP.DR
Assunto(s):Melanoma   Polimorfismo genético   Prognóstico   Oncologia

Resumo

O melanoma cutâneo (MC) merece destaque entre os tumores malignos devido ao seu alto potencial metastático e à refratariedade terapêutica. A via de sinalização Janus kinase/Signal tranducer (JAK/STAT), com as proteínas JAK1, JAK2 e STAT3, regula o desenvolvimento, a progressão e o potencial metastático do tumor. As proteínas JAK1, JAK2 e STAT3 são codificadas por genes polimórficos em humanos e, assim, é possível que indivíduos normais apresentem diferenças herdadas na funcionalidade da via JAK/STAT, com consequentes diferentes riscos para a ocorrência do MC e diferentes aspectos clinicopatológicos do tumor. Os objetivos do estudo são os de verificar se polimorfismos gênicos de nucleotídeo único (SNPs) no gene JAK1 (c.1648+1272A>G, c.991-27C>T), JAK2 (c.-1190G>T, c.-2428T>A) e STAT3 (c.*1671C>T, c.-1697C>G) influenciam o risco, as manifestações clínicas e biológicas e a sobrevida dos pacientes com MC, bem como as expressões dos referidos genes e proteínas. Serão avaliados 260 pacientes com MC atendidos nos ambulatórios de Oncologia Clínica e Dermatologia do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e 260 controles, doadores de sangue, do Hemocentro da UNICAMP, pareados por idade,sexo, raça e ancestralidade. Os pacientes receberam terapêutica com cirurgia, radioterapia e quimioterapia. As genotipagens serão realizadas por meio da reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT-PCR). As expressões gênicas dos três genes serão realizadas pelo PCR quantitativo. As expressões das três proteínas serão analisadas por imunohistoquímica em tumores emblocados em parafina. A expressão gênica e a quantificação de proteínas de um dos SNPs de interesse, ou seja, aqueles que apresentam associação com risco, manifestações clinicopatologicas e/ou sobrevida serão complementados pelo PCR quantitativo e western blot, respectivamente, em linhagem celular de melanoma A-375 modificada geneticamente para apresentar os genótipos homozigoto selvagem e homozigoto variante. Será verificado se os lóci dos SNPs estão em equilíbrio de Hardy-Weinberg em amostras de pacientes e controles. A análise da ancestralidade será calculada utilizando o programa STRUCTURE v 2.3.3. O significado estatístico das diferenças entre grupos será calculado pelo teste de Fisher ou qui-quadrado. Os riscos de ocorrência do MC, a que pacientes e controles foram submetidos, serão obtidas por meio das razões das chances. As comparações de expressões gênica e proteica serão realizadas por meio dos testes t e ANOVA ou teste de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis. As análises de sobrevida serão calculadas pelo Kaplan-Meier e teste do log-rank e por análises de Cox. Acreditamos que os resultados deste estudo poderão contribuir para identificar indivíduos com alto risco para a ocorrência do tumor ou de tumores ainda mais agressivos, que mereçam receber atenção especial na prevenção, diagnóstico precoce ou terapêutica diferenciada. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)