Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do processo de adesão e proliferação celular em filmes finos de PEDOT-co-PDLLA suportado em eletrodo de Au funcionalizado com laminina, integrina e fibronectina

Processo: 17/08349-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 21 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Susana Inés Córdoba de Torresi
Beneficiário:Rubens Araujo da Silva
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/26308-7 - Otimização das propriedades físico-químicas de materiais nano-estruturados e suas aplicações em reconhecimento molecular, catálise e conversão/armazenamento de energia, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/18846-7 - Avaliação do processo de adesão e proliferação celular em filmes finos de PEDOT-co-PDLLA sob regime de estímulo elétrico e aplicação de força mecânica, BE.EP.PD
Assunto(s):Polímeros condutores   Química de materiais   Biomateriais

Resumo

Revestimentos de superfície funcionais são um aspecto chave para muitas aplicações biomédicas, desde suportes poliméricos para engenharia de tecidos, como matrizes inteligentes para a liberação controlada de fármacos. Dentro deste cenário, a síntese de novos materiais para aplicações biológicas e o desenvolvimento de novos processos apresentam-se promissores. Para isso, polímeros biocompatíveis apresentam-se interessantes para estudar o processo de adesão e proliferação celular, principalmente quando o polímero utilizado possui propriedades eletroativas. Apesar dessas características desejadas, sabe-se que a maioria dos polímeros condutores exibem baixa degradabilidade e possui citoxicidade considerável, limitando-os em possíveis aplicações de interesse biotecnológico. O copolímero de PEDOT-co-PDLLA mostra-se como uma alternativa pois exibe as características físico-químicas e mecânicas necessárias para aplicações de interesse bioclínico, aliadas com propriedades eletroativas, biocompativeis e biodegradáveis somadas. Esse copolímero pode ser aplicado na adesão e proliferação celular, principalmente se funcionalizados com proteínas de ancoragem (laminina, integrina e fibronectina). As células aderidas podem posteriormente serem submetidas a estímulos elétricos para elevar o metabolismo e a proliferação celular. A principal vantagem do uso desse copolímero é a possibilidade de eliminação da necessidade de intervenção cirúrgica para a sua remoção, como ocorre em alguns casos com implantes metálicos, pois a ideia é que o copolímero se degrade ao mesmo tempo em que o tecido celular de interesse vai se regenerando. Espera-se que o procedimento a ser desenvolvido seja acessível para aplicação desse copolímero com propriedades condutoras e biodegradáveis à engenharia de tecidos de forma simples, de baixo custo financeiro e rotineiramente em situações bioclínicas.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, ARUA C.; DA SILVA, RUBENS A.; SOUZA, MARIA J. P. G.; MONTOYA, PAULA M.; BENTINI, RICARDO; AUGUSTO, TATIANA; TORRESI, ROBERTO M.; CATALANI, LUIZ H.; DE TORRESI, SUSANA I. CORDOBA. Electrochemical quartz crystal microbalance with dissipation investigation of fibronectin adsorption dynamics driven by electrical stimulation onto a conducting and partially biodegradable copolymer. BIOINTERPHASES, v. 15, n. 2 MAR 2020. Citações Web of Science: 0.
DOURADO, ANDRE H. B.; SILVA, RUBENS A.; TORRESI, ROBERTO M.; SUMODJO, PAULO T. A.; ARENZ, MATTHIAS; CORDOBA DE TORRESI, SUSANA I. Kinetics, Assembling, and Conformation Control of L-Cysteine Adsorption on Pt Investigated by in situ FTIR Spectroscopy and QCM-D. ChemPhysChem, v. 19, n. 18, p. 2340-2348, SEP 18 2018. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.