Busca avançada
Ano de início
Entree

Envelhecimento e hiperplasia prostática: avaliação de alterações funcionais e moleculares em uretra prostática de ratos

Processo: 17/04556-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 17 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Edson Antunes
Beneficiário:Eduardo Costa Alexandre
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/03625-5 - A influência da Prostatite na musculatura lisa de uretra de rato: abordagem funcional e molecular, BE.EP.PD
Assunto(s):Uretra   Próstata   Músculo liso

Resumo

O envelhecimento da população é um fenômeno de escala mundial. As projeções indicam que em 2020 o Brasil será o sexto do mundo em número de idosos, superando 30 milhões de pessoas. A cada ano 650 mil novos idosos são incorporados à população brasileira. Estudos clínicos recentes apontam para uma forte correlação entre envelhecimento e doenças do trato geniturinário, gerando os chamados sintomas do trato urinário inferior, também referidos como LUTS (da sigla Lower Urinary Tract Symptoms). Estes afetam homens e mulheres e compreendem diversas queixas relacionadas a problemas de armazenamento e/ou esvaziamento da bexiga urinária. No homem as doenças prostáticas, incluindo hiperplasia benigna da próstata (BPH, Benign Prostatic Hyperplasia), são altamente prevalentes e estão relacionadas com LUTS. Estudos realizados com animais de experimentação também mostram uma relação direta entre envelhecimento e alterações prostáticas; entretanto, há ainda poucos estudos abordando o papel da uretra prostática nessas disfunções urinárias. A uretra possui um papel importante no ciclo miccional e atua em sincronia com o músculo liso detrusor. A função principal da uretra é manter a continência urinária através da contração na fase de enchimento e de relaxamento na fase de eliminação. Entretanto, estudos abordando a fisiopapatologia da disfunção uretral ainda são relativamente escassos. Estudos preliminares do nosso laboratório avaliaram o efeito do envelhecimento na reatividade da musculatura lisa uretral em ratos de meia-idade (10 meses) comparados a jovens (13 semanas). A resposta contrátil à estimulação elétrica (resposta neurogênica), KCl, fenilefrina e vasopressina foram significativamente maiores na uretra de ratos de meia-idade em relação àquelas obtidas no grupo jovem. O envelhecimento também reduziu significativamente o relaxamento da musculatura lisa uretral induzido pelo gliceril trinitrato (doador de NO). Observamos ainda alterações miccionais em ratos de meia idade como aumento da pressão basal, capacidade e complacência da bexiga. Também encontramos alterações moleculares no tecido uretral do rato de meia idade como aumento da expressão de RNAm para fosfodiesterase 5 (envolvida na via do óxido nítrico), receptores alfa adrenérgicos 1A (principal via contrátil da uretra) e gp91phox (subunidade da NADPH oxidase), associado a aumento local na produção de espécies reativas de oxigênio. Dessa forma, o presente projeto propõe estudar a fisiopatologia da uretra em modelos animais de disfunção prostática. O objetivo é explorar as alterações morfofuncionais e moleculares do tecido uretral frente às principais vias contráteis (mediadas por ativação de adrenoceptores ±1 adrenérgicos e da via da rho quinase) e principais vias relaxantes (mediadas por ativação de receptores ² adrenérgicos e da via NO-GMPc), e sua modulação pelo estresse oxidativo. Procuraremos comparar a disfunção uretral do rato de meia-idade com modelo clássico de suplementação de testosterona que induz hiperplasia prostática. Esse estudo poderá contribuir para o esclarecimento da disfunção uretral e das vias de sinalização envolvidas em condições patológicas de BPH.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALEXANDRE, EDUARDO C.; CALMASINI, FABIANO B.; SPONTON, AMANDA C. DA S.; DE OLIVEIRA, MARIANA G.; ANDRE, DIANA M.; SILVA, FABIO H.; DEBIN, MARIA ANDREIA; MONICA, FABIOLA Z.; ANTUNES, EDSON. Influence of the periprostatic adipose tissue in obesity-associated mouse urethral dysfunction and oxidative stress: Effect of resveratrol treatment. European Journal of Pharmacology, v. 836, p. 25-33, OCT 5 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.