Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistemática de Rhinebothrium linton, 1890 e composição de Rhinebothriidae Euzet, 1953 (Platyhelminthes: Cestoda)

Processo: 17/11063-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 28 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Daniel José Galafasse Lahr
Beneficiário:Bruna Trevisan Souza Szucko
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/01453-5 - Aumento da representatividade taxonômica de rhinebotrídeos para melhorar sua análise filogenética e circunscrição morfológica, BE.EP.DR
Assunto(s):Filogenia   Sistemática   Genomas

Resumo

Nos últimos anos, a taxonomia da classe Cestoda foi consideravelmente reestruturada, principalmente no que concerne às categorias supra-genéricas. Esta reestruturação se deu em grande parte pelo aporte de novas evidências provenientes de estudos filogenéticos baseados em dados moleculares. Entretanto, ainda existem inúmeros táxons que carecem de revisão, dentre eles a família Rhinebothriidae Euzet, 1953. Esta família foi recentemente atribuída à ordem recém-erguida Rhinebothriidea Healy, Caira, Jensen, Webster & Littlewood, 2009. Porém, as relações filogenéticas internas da família Rhinebothriidae ainda são pouco estabelecidas, principalmente no que diz respeito à aparente polifilia de seu gênero-tipo (i.e. Rhinebothrium Linton, 1890). A polifilia de Rhinebothrium pode ser resultado da baixa representatividade taxonômica dos estudos filogenéticos que abordaram este gênero e/ou da circunscrição ambígua deste táxon. Adicionalmente, estes estudos baseiam-se em apenas dois marcadores moleculares (18s e 28s), o que limita o poder de teste dessas hipóteses. Por outro lado, recentes avanços tecnológicos (e.g., sequenciamento de pUoxima geração, NGS) possibilitam uma maior obtenção de dados moleculares de forma relativamente barata e eficiente, permitindo testar com maior rigor as hipóteses existentes e propondo hipóteses mais robustas. Sendo assim, este projeto visa propor uma hipótese filogenética robusta para os membros de Rhinebothriidae, a partir de um número amostral sem precedentes integrando dados de NGS, com ênfase na cirscunscrição e diversidade de Rhinebothrium. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TREVISAN, BRUNA; JACOB MACHADO, DENIS; LAHR, DANIEL J. G.; MARQUES, FERNANDO P. L. omparative Characterization of Mitogenomes From Five Orders of Cestodes (Eucestoda: Tapeworms. FRONTIERS IN GENETICS, v. 12, DEC 22 2021. Citações Web of Science: 0.
SANTOS, JESSICA VIEIRA; MARQUES, FERNANDO P. L.; TREVISAN, BRUNA. THE FIRST REPORT AND DESCRIPTION OF A NEW SPECIES OF RHINEBOTHRIUM FROM A DASYATID STINGRAY FROM THE BRAZILIAN NORTHEASTERN COAST WITH A REVIEW OF THE DISTRIBUTION OF THE GENUS THROUGHOUT ENDEMIC MARINE ECOREGIONS. Journal of Parasitology, v. 106, n. 6, p. 809-817, DEC 2020. Citações Web of Science: 0.
TREVISAN, BRUNA; CAIRA, JANINE N. THREE NEW SPECIES OF RHINEBOTHRIUM (CESTODA: RHINEBOTHRIIDEA) FROM THE LEOPARD WHIPRAY, HIMANTURA LEOPARDA, IN AUSTRALIA. Journal of Parasitology, v. 106, n. 6, p. 789-801, DEC 2020. Citações Web of Science: 1.
TREVISAN, BRUNA; ALCANTARA, DANIEL M. C.; MACHADO, DENIS JACOB; MARQUES, FERNANDO P. L.; LAHR, DANIEL J. G. Genome skimming is a low-cost and robust strategy to assemble complete mitochondrial genomes from ethanol preserved specimens in biodiversity studies. PeerJ, v. 7, SEP 13 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.