Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da capacidade regenerativa das células satélite em camundongos com síndrome de Marfan

Processo: 17/14115-5
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 17 de setembro de 2017
Vigência (Término): 16 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Elen Haruka Miyabara
Beneficiário:Meiricris Tomaz da Silva
Supervisor: Michael Kyba
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Minnesota (U of M), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:14/13874-1 - Regeneração muscular esquelética de camundongos com Síndrome de Marfan: estudo do potencial regenerativo das células satélites, BP.PD
Assunto(s):Regeneração muscular
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:regeneração muscular | Plasticidade do músculo esquelético

Resumo

A síndrome de Marfan é causada por mutações em um gene autossômico dominante que codifica a proteína fibrilina-1, que é a principal glicoproteína estrutural das microfibrilas e atua como proteína de ancoragem para a formação de fibras elásticas e deposição de elastina. Alterações no músculo esquelético são encontradas na síndrome de Marfan, tais como a redução do número e tamanho das fibras musculares, fibrose, deposição de tecido adiposo, fragmentação de fibras musculares e diminuição da expressão de M-caderina e miogenina nos músculos após lesão, sugerindo déficit na resposta regenerativa nos músculos desses indivíduos. A regeneração muscular esquelética depende de uma população de células tronco musculares, conhecidas como células satélite. A capacidade de regeneração muscular dessas células ao longo da vida ocorre por meio da produção de novos mioblastos e devido ao seu potencial de auto-renovação. Entender o mecanismo de controle da auto-renovação e da manutenção da população de células satélite é essencial para a compreensão da manutenção e da regeneração do tecido muscular. Portanto, nossa estratégia foi avaliar a proliferação de células satélite e a diferenciação inicial de células precursoras miogênicas isoladas de camundongos deficientes de fibrilina-1. Nossos resultados preliminares mostraram que existe um aumento na proliferação de células satélites desses animais em comparação com o animal selvagem. Entretanto, não foram observadas alterações na diferenciação inicial das células precursoras miogênicas. Com base nesses resultados, nós hipotetizamos que a população de células satélite sofre mudanças celulares autônomas na síndrome de Marfan, o que acarreta em alterações no seu potencial de auto-renovação e/ou diferenciação. Sendo assim, o objetivo deste estudo é investigar se as células satélite de animais com síndrome de Marfan apresentam alterações na sua capacidade de auto-renovação e/ou na sua capacidade em se diferenciar em fibras musculares. Serão realizados ensaios de transplante de células satélite que simultaneamente permitem avaliar a auto-renovação e o potencial de diferenciação das células satélite desses animais com síndrome de Marfan (Por favor, veja detalhes no projeto).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, MEIRICRIS TOMAZ; SANTOS, AUDREI R.; KOIKE, TATIANA E.; NASCIMENTO, TABATA L.; ROZANSKI, ANDREI; BOSNAKOVSKI, DARKO; PEREIRA, LYGIA, V; KUMAR, ASHOK; KYBA, MICHAEL; MIYABARA, ELEN H.. The fibrotic niche impairs satellite cell function and muscle regeneration in mouse models of Marfan syndrome. ACTA PHYSIOLOGICA, v. 237, n. 1, p. 19-pg., . (17/14115-5, 20/15351-7, 18/24946-4, 17/09069-4, 14/23391-8, 13/04783-0, 14/13874-1)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.