Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de medicina complementar e alternativa em pacientes com doença inflamatória intestinal

Processo: 17/10183-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ligia Yukie Sassaki
Beneficiário:Débora Pereira Henriques
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Doença de Crohn   Proctocolite   Doenças inflamatórias intestinais   Adesão à medicação   Medicina alternativa   Gastroenterologia   Cooperação e adesão ao tratamento

Resumo

A doença inflamatória intestinal (DII), composta principalmente pela doença de Crohn (DC) e pela retocolite ulcerativa (RCU), caracteriza-se pelo acometimento crônico do trato gastrintestinal, alternando períodos de atividade e remissão. Diferentes estudos têm demonstrado um aumento progressivo no uso de Medicina Complementar e Alternativa (MCA) pela população em geral, predominando o uso combinado da MCA com a terapia convencional se comparado a substituição da terapia convencional pela MCA. A MCA inclui as práticas tradicionais, tais como acupuntura, medicina tradicional chinesa, medicina ayurvédica, homeopatia e fitoterapia, bem como práticas complementares mais modernas, incluindo aromaterapia e reflexologia. Não há estudos do emprego da MCA por pacientes com DII no Brasil, portanto este estudo se faz necessário para ampliar o conhecimento de tal instrumento terapêutico pela equipe de saúde, bem como a familiarizar sobre as formas mais comuns e mais utilizadas de MCA pelos pacientes com DII. Os objetivos do estudo são determinar a prevalência de pacientes ambulatoriais que optam por utilizar a MCA; avaliar fatores preditores para o uso de MCA; identificar os tipos de MCA utilizados pelos pacientes e estimar o grau de satisfação com o uso de MCA e o grau de adesão ao tratamento convencional. Será realizado um estudo transversal com entrevista com os pacientes e aplicação de questionários. Serão incluídos pacientes com DII sob acompanhamento ambulatorial no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu. Dados como idade, sexo, escolaridade, profissão, estado civil, raça/etnia e hábitos de vida como tabagismo serão coletados. Tipo de doença, data do diagnóstico, tempo de doença, sintomas atuais, tipo evolutivo, terapêutica convencional em uso, número de internações, taxa de recaída, cirurgias relacionadas à DII, serão obtidos no momento da entrevista. A atividade da DC será avaliada pelo Índice de Harvey Bradshaw. A atividade da RCU será avaliada pelo Escore de Mayo. A qualidade de vida será avaliada através do Inflammatory Bowel Disease Questionnaire (IBDQ). Os sintomas de ansiedade e depressão serão avaliados pela Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS). A adesão medicamentosa será avaliada através da Escala de Aderência à medicação de Morisky (MMAS-8). A avaliação do uso de Medicina Complementar e Alternativa será através de questionário sobre a utilização de diferentes tipos de MCA, como uso de ervas, fitoterapia, chás, homeopatia, ômega 3, glutamina, acupuntura, meditação, ou qualquer outra terapia. Serão avaliados indicação, dose, frequência, tempo de uso, duração do tratamento e satisfação do paciente com o uso da MCA. Análise Estatística: estatística descritiva e testes de associação. (AU)