Busca avançada
Ano de início
Entree

Potencial imunotóxico e de estresse oxidativo das nanopartículas de óxido de cobre e de platina sobre organismos aquáticos

Processo: 17/03165-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Valtencir Zucolotto
Beneficiário:Adrislaine da Silva Mansano Dornfeld
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas   Peixes   Nanotoxicologia   Ecotoxicologia

Resumo

O rápido aumento do uso e a da produção de nanopartículas (NPs) de óxido de cobre e de platina em diversas áreas, contribui para a presença destes contaminantes nos ecossistemas aquáticos. Alguns estudos já relataram a toxicidade das NPs aos organismos aquáticos, porém a investigação do seu potencial tóxico sobre o sistema imunológico destas espécies é limitada. Considerando o tamanho pequeno das NPs (< 100 nm), espera-se que o sistema imunológico e as defesas antioxidantes dos organismos reajam à presença das NPs e causem desequilíbrios ecológicos nas populações. Diante disso, o objetivo desta pesquisa será avaliar o potencial imunotóxico e de estresse oxidativo das NPs de óxido de cobre e de platina sobre o cladócero Daphnia magna e o peixe Danio rerio. Ensaios para determinar a toxicidade das NPs sobre os organismos-teste serão realizados. Em seguida, as espécies serão expostas às concentrações subletais das NPs para avaliar os efeitos imunotóxicos e de estresse oxidativo utilizando biomarcadores. O estresse oxidativo será analisado por meio da determinação dos níveis de espécies reativas de oxigênio, da atividade das enzimas antioxidantes e da concentração de malondialdeído nos tecidos do cladócero e do peixe. A resposta imune de D. magna às NPs será avaliada pela determinação do número de hemócitos e da atividade da fenoloxidase. Já os efeitos imunotóxicos das NPs sobre D. rerio será determinado através do número de leucócitos, da concentração de IgM e da atividade de lisozima em amostras de sangue. A função dos neutrófilos dos rins do peixe também será avaliada. Em termos gerais, esta pesquisa poderá elucidar os principais mecanismos responsáveis pelos efeitos deletérios das NPs sobre cladóceros e peixes, além de fornecer informações que poderão subsidiar ações regulatórias, visando à proteção da biota aquática.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.